Por felipe.martins, felipe.martins
Rio - O verão é a estação que tem tudo a ver com o jeito do brasileiro. Praia, Carnaval, época de festejar, esbanjar alegria e celebrar a vida. Nunca é demais, porém, lembrar a importância na prevenção da Aids (sexo seguro) e, principalmente, nosso papel na ‘guerra’ contra o Aedes aegypti. Ainda nesse contexto, penso que há espaço para falar de câncer hoje, Dia Mundial do Câncer. Pode parecer que a temporada não combine com doença, mas a prevenção e o combate precisam estar no nosso dia a dia, independentemente do calendário ou se temos alguém próximo com a doença.
O World Cancer Day, celebrado por países e por entidades signatários da União Internacional de Controle do Câncer, convoca a sociedade para a luta contra a ‘epidemia do câncer’. O objetivo é unir esforços e salvar milhões de vidas de mortes evitáveis a cada ano, reforçando que todos nós temos papel fundamental para a redução da carga global de câncer. “Nós podemos, eu posso.”
Publicidade
O câncer é um problema de saúde pública mundial, registrando crescimento de 20% na última década. No Brasil, é a segunda causa de morte por doença, atrás apenas das cardiovasculares. A estimativa são 600 mil novos casos de neoplasias para 2016, segundo o Inca. Já a Organização Mundial da Saúde, no mundo, prevê 27 milhões de novos casos de câncer para 2030.
Nós podemos pressionar governos e indivíduos a agir na prática. O primeiro passo é reivindicar ações e investimento que aumentem as taxas de cura e controle da doença e ofereçam melhor qualidade de vida aos pacientes. Defender a criação de ambientes saudáveis nas escolas e locais de trabalho e melhorar o acesso a atendimentos com a planificação destas ações. E, ainda, podemos desafiar percepções, pois, mesmo depois de muito avanço, o câncer ainda permanece como tabu. Pessoas com câncer ainda sofrem estigma e discriminação, o que pode ser uma barreira para aceitar e procurar o tratamento e o apoio necessários.
Publicidade
Eu posso adotar um estilo de vida para reduzir o risco de câncer, ao escolher atitudes que incluem não fumar, praticar atividades físicas e consumir alimentos e bebidas saudáveis. Isso vale para todos nós, todos os dias do ano, incluindo o Carnaval. Não vamos brincar com a saúde.
Alfredo Scaff é médico epidemiologista da Fundação do Câncer
Publicidade