Por adriano.araujo, adriano.araujo
Rio - O espetáculo apresentado este ano pelas escolas do Grupo Especial ficará indelével na memória do samba, atestam especialistas e amantes do Carnaval da Sapucaí. A despeito da harmonia — canto e dança — quase sempre pulsante, testemunharam-se enredos interessantes, explorados em soluções criativas e invariavelmente de bom gosto.
Resultado surpreendente para alguns pessimistas que, há um mês, trombeteavam que a crise tinha chegado aos barracões e que os desfiles seriam sofríveis.
Publicidade
De fato, a recessão não poupou a indústria do Carnaval — mas isto pode ter revelado mais uma solução do que um problema. Com o rareamento de patrocínios, sobressaiu a criatividade, expressa em enredos mais autênticos e interessantes.
Sinal de que as escolas não necessariamente precisam se vender para levar histórias e personagens esdrúxulos em argumentos tão palatáveis como leite de pedra. Viu-se um Carnaval como antigamente. Que perdure.