Luiz Antônio Simas: O velho estava certo

A posição das estrelas no lábaro representa o céu do Rio de Janeiro às 8h14 do dia 15 de novembro de 1889

Por O Dia

Rio -  Vamos de recordações da infância. Eu estava assistindo a uma aula de Estudos Sociais quando a professora falou da necessidade de amarmos os símbolos da pátria. A mestra fez uma pergunta básica sobre a bandeira:

— A estrela que está acima do lema ‘Ordem e Progresso’ representa que estado do país?
Eu, certo da resposta, bradei com a autoridade de um caboclo de umbanda:

— É o Pará!

A dona me fuzilou com o peso da tirania:

— É o Distrito Federal!

Descabelada, dando socos no quadro, a mestra afirmou que não aguentava mais dar aulas a um peste como eu, endemoniado, malcriado e futuro marginal. Admito que meu comportamento em sala não fosse exemplar, mas ela exagerou. Nunca me esqueci desse esporro e, por conta disso, tive sérios problemas em respeitar a bandeira do Brasil. Era ver o pavilhão canarinho e o arrazoado da mestra rugia nos meus ouvidos.

Meu avô, que havia me garantido que a estrela representava o Pará, tentou me consolar. Eu, amigos, duvidei do velho e cheguei a acreditar que ele tinha se enganado. A estrela devia mesmo representar o Distrito Federal.

Eis que o tempo passou, e o velho cantou pra subir. Morreu manso, ele que sempre foi esporrento. Não deixou herança em dinheiro ou imóveis (prova irrefutável de caráter e dignidade), mas legou aos seus uma cacetada de coisas aparentemente inúteis, como flâmulas de clubes, moedas da época do Império, álbuns de figurinhas incompletos, um chicote de cangaceiro e uma bandeira do Brasil, enroladinha como ela só. Dentro da bandeira, protegida, uma cartilha com explicação completa, minuciosa. Sabem o que a cartilha diz?

A bandeira foi proposta pelo positivista Teixeira Mendes, com apoio do astrônomo Manuel Pereira Reis e do artista Décio Vilares. A posição das estrelas no lábaro representa o céu do Rio de Janeiro às 8h14 do dia 15 de novembro de 1889, data e hora da proclamação da República. Diz ainda que cada estrela representa um estado. E, vejam vocês, que a única estrela acima da faixa com ‘Ordem e Progresso’ é a Spica, representando o Pará. À época da Proclamação da República, Belém era a capital mais setentrional do país, ainda que abaixo do Equador.

O Distrito Federal é representado pela Sigma do Oitante, que fica próxima ao polo celeste, o que faz com que todas as estrelas visíveis nos céus do Brasil façam um arco em torno dela. E a Sigma está abaixo do ‘Ordem e Progresso’. Conclusão: meu avô sabia de tudo, e estamos conversados. A posição das estrelas no lábaro representa o céu do Rio de Janeiro às 8h14 do dia 15 de novembro de 1889

Últimas de _legado_Opinião