Por thiago.antunes
Rio - A 22ª DP (Penha) registrou nesta quinta-feira de manhã situação inusitada: vítimas de tentativas de assalto, os idosos Manuel Guinarte Rodrigues, de 76 anos, e Delmir Sarmento Barcelos, de 85, deram uma surra — em momentos distintos — em Bruno Uender Rosário de Mattos, o Maluquinho, de 19, em Olaria, na Zona Norte. O jovem acabou preso.

Por volta das 8h30, Bruno, simulando portar arma sob a camisa, tentou assaltar Manuel na Rua Ibiapina. A vítima, porém, reagiu e derrubou o assaltante no chão. Depois de bater no bandido e o imobilizar, Manuel foi aplaudido por pessoas que passavam pelo local. O jovem só não foi linchado porque policias do 16º BPM (Olaria), que faziam ronda na área, chegaram em seguida.

Na delegacia%2C homem disso ter ido ao hospital apenas porque foi agredidoSeverino Silva / Agência O Dia

Ao ser preso, Bruno, que já tinha passagem na polícia por tráfico de drogas, foi reconhecido por Delmir. Ele contou que também reagiu e se atracou com o assaltante meia hora antes, pelo mesmo motivo, na Rua Leopoldina Rêgo, a poucas quadras da Rua Ibiapina.

Queixando-se de dores e com escoriações pelo corpo, Bruno foi levado pelos PMs para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, de onde foi liberado pouco depois.
Na delegacia, enquanto aguardavam para prestar depoimento, Manuel e Delmir eram cumprimentados pelo feito. Na delegacia, o rapaz mostrou-se constrangido com a situação.

“Acabaram virando heróis. Afinal, não é todo dia que dois idosos, que juntos somam 161 anos, dão uma coça num homem que tem oito vezes menos a idade deles e quase um 1,80 metro de altura”, afirmou o delegado Reginaldo Guilherme, condenando, entretanto, a atitude dos heróis-relâmpago da terceira idade.

“Numa situação dessa, a vítima nunca deve reagir. E se o criminoso estivesse armado de verdade? Poderia ter matado um deles ou os dois”, justificou Reginaldo.
“Eles estão de parabéns. Fiz questão de cumprimentar os dois vovozinhos. Infelizmente, não tive a mesma coragem que eles”, comentou a secretária Marieta Jerônimo de Paula, de 42 anos.

Publicidade
Ela fora à delegacia depois de ter sido assaltada por outro jovem no bairro. Bruno vai responder por duas tentativas de roubo.
No início da tarde, parentes de Manuel, que mora em Olaria, e Delmir, na Penha, informaram que ambos estavam bem e que, depois do susto, tinham ido descansar. Durante todo o dia, amigos e parentes ligaram para saber notícias deles.
Publicidade
Avó e bisavó lamentam vício do rapaz
Criado pela avó, Helena, e pela bisavó, Iara, desde os oito meses de idade, Bruno Uender era um desses usuários de drogas que perambulam pelo Rio.
Publicidade
Viciado em maconha, cocaína e crack há quatro anos, ele estava morando nas ruas da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha. Os pais, Marcos e Sônia, também viciados, foram mortos aos 20 anos.
“Já fizemos de tudo para livrá-lo das drogas. Chegamos a interná-lo cinco vezes e até uma casa montamos para ele, que vendeu tudo por causa do vício. Minha mãe (Iara) teve que colocar grades na casa dela porque ele a roubava sempre”, disse Helena.
Publicidade