Por thiago.antunes
Publicado 01/06/2013 00:49 | Atualizado 01/06/2013 01:51

Rio - A Polícia Civil investiga se Isaías da Costa Rodrigues, o Isaías do Borel, tem autorização judicial para visitar a família no Rio. Ele, que foi solto no dia 1º de outubro do Presídio de Segurança Máxima de Porto Velho, em Rondônia, estava na cidade há três dias e iria retornar às 21h30 desta sexta-feira para o Maranhão com a mulher e os filhos.

Isaías foi detido por volta das 17h30, por meio de denúncia feita aos PMs da UPP do Morro do Borel. Segundo o depoimento feito na 19ª DP (Tijuca), para onde foi levado, o ex-chefe do tráfico na comunidade não queria voltar para o Rio e pretende continuar morando no Maranhão, onde ganha R$ 40 por dia trabalhando como pedreiro.

Isaías%2C ao centro%2C na delegacia da 19ª DP%3A ele estaria ganhando R%24 40 por dia numa obra no MaranhãoAndré Mourão / Agência O Dia

De acordo com parentes, Isaías também se converteu à Assembleia de Deus e afirmou diversas vezes que quer recomeçar a vida após passar 22 anos preso. Ele alegou que recebeu autorização judicial para a visita aos familiares. Uma medida cautelar proíbe a entrada de Isaías do Borel em qualquer comunidade, bem como estabelece uma distância de 300 metros.

No caminho para a delegacia, Isaías chegou a acenar para a imprensa e se mostrou tranquilo. Caso a autorização para a visita não seja confirmada, a polícia vai fazer um registro para investigar o caso.

“Já ‘tirei’ minha cadeia. Perdi minha mocidade, fiz coisa errada, mas paguei durante 22 anos. Sou cristão e quero viver minha vida em paz”, disse Isaías, na saída da delegacia.

Confusão no Borel

Mais cedo, quando Isaías foi detido, moradores do Borel atiraram uma pedra e um ovo na viatura. Pouco depois, uma caminhonete branca parou ao lado de uma patrulha do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) e fez um disparo, fugindo em seguida. Ninguém ficou ferido.

PMs do 6º BPM (Tijuca) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do local estão em alerta e buscam paradeiros dos criminosos.


Você pode gostar