Por thiago.antunes

Rio - ?A juíza titular do 2º Tribunal do Júri determinou a desclassificação do crime em que Paulo César Pereira da Silva, José Antônio Ferreira Dias e Carlos Emílio Siqueira são acusados de matar Gualter Damasceno Rocha, o Gambá, mais conhecido como “Rei dos Passinhos”.

Atendendo a um pedido do Ministério Público que, após ouvir os réus e algumas testemunhas, constatou que os acusados não tinham a intenção de matar a vítima, a magistrada desqualificou o crime de homicídio qualificado para lesão corporal seguida de morte.

"Restou evidenciado que os acusados não agiram com dolo de matar, na medida em que agiram causando tão somente lesões corporais na vítima, uma vez que todas as testemunhas afirmaram que a vítima estava em estado agitado e invadiu a residência de duas moradoras, que gritaram por socorro. Os acusados, por sua vez, na tentativa de conter a vítima, tiveram dificuldade em imobilizá-la e acabaram por matá-la”, concluiu, em trecho da decisão.

José Antonio Ferreira Dias (dir.) e Carlos Emílio Cerqueira foram localizados perto do local do crimePaulo Alvadia / Agência O Dia

O dançarino foi morto na madrugada de 1º de janeiro de 2012, após sair de um baile funk, invadir a casa de uma moradora do bairro de Bonsucesso, na Zona Norte, e ser contido por três homens que acabaram matando-o. Como não houve reconhecimento do corpo em tempo hábil, Gualter foi enterrado como indigente três dias depois.

O processo será redistribuído para uma vara criminal da capital. Os acusados continuarão respondendo ao processo em liberdade, mas vão cumprir as medidas cautelares já estabelecidas.

Os dois suspeitos de assassinar o dançarino Gualter Damasceno Rocha, 22 anos, o Gambá, foram apresentados nesta sexta-feira na Divisão de Homicídios (DH), na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

Dupla foi encontrada por meio de denúncia anônima

O delegado Giniton Lages, da Delegacia de Homicídios (DH), responsável pelas investigações do caso, afirmou à época que Gambá foi espancado e asfixiado pela dupla. Eles foram presos um mês após o incidente.

Os dois acusados teriam sido vistos por testemunhas e câmeras de segurança para fora da casa de número 64 da Rua Pesqueira, em Bonsucesso, na Zona Norte. Lages, contudo, não informou o que motivou o assassinato.

"A motivação será anunciada no momento oportuno", afirmou. Os dois acusados, que cumprem prisão temporária por 30 dias, não confessaram o crime. A polícia cogita realizar uma acareação e reconstituição do crime. José e Carlos foram localizados através de informações passadas pelo Disque-Denúncia (2253-1177).

Você pode gostar