Por thiago.antunes

Rio - Esse ano, as ações de combate aos baloeiros, comuns na época de festas juninas, serão intensificadas porque o período de festas coincide com a realização da Copa das Confederações e da Jornada Mundial da Juventude.

O Comando de Polícia Ambiental (CPAM) reforçará o patrulhamento e contará com auxílio de embarcações na Baía de Guanabara e do Grupamento Aeromóvel (GAM).

Segundo o comandante do CPAM, coronel Eduardo Frederico Cabral de Oliveira, o número de PMs vai aumentar. “Os baloeiros passaram a fazer balões menores para facilitar a ação deles e dificultar o trabalho da polícia”, explicou o oficial.

Além de causar incêndios, os balões oferecem riscos à aviação. Eles podem invadir o espaço aéreo e as turbinas dos aviões próximos ao pouso ou decolagem.

“O fluxo aéreo nesse período será muito grande e o número de pessoas nas ruas também. Balões colocam em risco a vida de todos”, alertou o coronel.

A pena para quem solta balões é de um a três anos de prisão. Denúncias devem ser feitas para o Disque-Denúncia (2253-1177).

Você pode gostar