Por cadu.bruno
Publicado 04/06/2013 17:11 | Atualizado 04/06/2013 17:17

Rio - Uma quadrilha especializada em roubo de caminhões foi desarticulada após uma operação da 58ª DP (Posse). Nove pessoas foram presas e outras três estão foragidas. As prisões aconteceram no sábado e terminaram na noite desta segunda-feira. Entre os acusados está um empresário de Minas Gerais.

Segundo as investigações, iniciadas em novembro, o grupo roubava caminhões e mantinha o motorista refém por até 12 horas, amarrado em um matagal. Quatro inquéritos com as mesmas características de ação foram instaurados na 58ª DP.

Após interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça, os policiais identificaram Cosme César Costa, de 46 anos, como o chefe da quadrilha. Ele era contratado pelo empresário Saner Adriano de Souza, de 36, que morava em Contagem, Minas Gerais, para que roubasse os caminhões e os levassem até sua cidade. O grupo recebia R$ 20 mil por cada veículo entregue. Em Contagem, os documentos eram refeitos e o veículo revendido.

De acordo com o delegado titular da 58ª DP, Marcos Henrique de Oliveira, o grupo era bem estruturado e cada um tinha uma função. Eram cinco ladrões, duas mulheres que cediam as contas bancárias, um motirsta, um responsável por desativar o rastreador do caminhão, um que cuidava das vítimas no cativeiro, o chefe da quadrilha e o empresário. Os foragidos foram identificados como Weslley Klein Borges, Ademir Antônio de Souza e Rodrigo Gomes da Silva.

Polícia faz operação para prender ladrões de cargas

Cinco pessoas foram presas durante operação desencadeada na manhã desta terça-feira por policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) para cumprir 11 mandados de prisão, expedidos pela Justiça, contra integrantes de quadrilhas envolvidas em roubos de cargas.

A ação foi realizada em vários pontos do Rio. Durante a operação, os agentes apreenderam iphones, tables, celulares, entre outras mercadorias roubadas. Os presos foram localizados em Belford Roxo, Santa Cruz da Serra, Cidade Alta e Olaria.

Cerca de 30 agentes da especializada participaram da ação, que tem apoio de policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

Você pode gostar