Corpos de vítimas de acidente com ônibus escolar em Silva Jardim são velados

Colisão matou dois jovens deixou outros 17 feridos

Por O Dia

Rio - Os corpos de Jeferson Batista da Silva, 15 anos, e Jonathan Quintanilha Venceslau, de 13, mortos em um acidente na RJ-140, em Silva Jardim, na Baixada Litorânea, serã enterrados nesta quinta-feira. O ônibus escolar que transportava os jovens se chocou contra um ônibus.

A colisão deixou outras 17 crianças feridas. As vítimas foram levadas para a Policlínica Municipal de Silva Jardim. Dois feridos em estado grave foram encaminhados para o Hospital de Araruama, na Região dos Lagos.

Duas crianças morreram no acidente na RJ-140Bruna Porto

O corpo de Jeferson é velado na capela São Sebastião, no bairro Boqueirão, em Silva Jardim. Já o corpo de Jonathan está na igreja Assembléia de Deus de Lucelândia, no mesmo município. Os sepultamentos devem ocorrer ainda na manhã desta quinta no Cemitério Municipal de Silva Jardim.

Documento encontrado com motorista de ônibus escolar é de 2010

Documentos encontrados com o motorista do ônibus mostram que o último IPVA do veículo foi pago em 2010. A prefeitura da cidade nega e afirma que existe o documento de 2013 do veículo. De acordo com algumas crianças, quando chegaram na escola para pegar o ônibus, o motorista, identificado como Carlos André Nogueira, de 26 anos, dormia sobre o volante.

Os estudantes eram transportados do Colégio Adail Maria Tinoco para o Ciep Vera Lúcia Silva Jardim. Vinte crianças estavam no veículo no momento do acidente. A mudança era por conta de obras no Adail Maria Tinoco. Dentro do veículo, haviam 16 crianças e quatro adultos, sendo o motorista, dois inspetores e uma professora.

Motorista desviou de urubus na pista e atingiu caminhãoBruna Porto

O padastro de Jonathan, Genivaldo Lacerda Correia Figueiredo, estava abalado com a tragédia que tirou a vida do adolescente. Segundo ele, a família mora perto do colégio, mas por conta da reforma do local faziam o trajeto desta manhã desde o início do ano.

Jonathan tinha outro irmão, de 7 anos, e sua mãe sofre de problemas psicológicos, conforme relatou Genivaldo, que lamentava a todo momento a perda do jovem. "Ele era tudo pra mim. Me ajudava com tudo em casa. Um garoto ótimo, é o fim para mim, estou desesperado", disse.

Imprudências seriam frequentes

O adolescente Paulo Ricardo, de 15 anos, estudante do sétimo ano do ensino fundamental, disse que o motorista estava em alta velocidade no momento do acidente. Ele estava no fundo do ônibus, em cima da roda e do mesmo lado do motorista no momento do acidente. O jovem relatou que precisou passar por cima de crianças feridas após a batida do ônibus com o caminhão e sair pelo pára-brisas. Paulo teve ferimentos na sobrancelha, orelha e joelho.

De acordo com outros jovens, seria frequente o excesso de velocidade, superlotação e motoristas aparentando cansaço. Ainda segundo eles, o veículo possuía cintos de segurança, mas ninguém usada.

O motorista do ônibus foi encaminhado à 120ª DP (Silva Jardim), onde presta depoimento. O condutor do caminhão, identificado Leir da Silva Goulart, de 55 anos, ficou levemente ferido. O economista Leonan Costa, de 38 anos, que guiava um Siena atrás do caminhão e testemunhou o acidente também será ouvido na delegacia.

Últimas de Rio De Janeiro