'Tive que passar por cima de colegas para sair do ônibus', diz adolescente

Batida entre três veículos em Silva Jardim matou dois jovens, além de ferir 19 alunos e 4 adultos sem cinto de segurança. Prefeitura nega superlotação

Por O Dia

Rio - ‘Entre gritos de socorro, tive de passar por cima dos colegas para conseguir sair do ônibus pelo para-brisa’. Com ferimentos na testa, orelha e perna, Paulo Ricardo Xavier, 15, relembrava os momentos no micro-ônibus escolar lotado de alunos que tombou, na manhã desta quarta-feira, na RJ-140, em Silva Jardim, Baixada Litorânea.

Jeferson Batista da Silva, 15, e Jonathan Quintanilha, 13, morreram na hora e pelo menos 23 pessoas ficaram feridas. O último licenciamento do veículo é de 2010.

O motorista Carlos André Alves Nogueira Guimarães, 25, levava crianças e adolescentes, entre 10 e 16 anos, do Colégio Adail Maria Tinoco, no Boqueirão, que está interditado, para o Ciep Vera Lúcia Pereira Couto, no Centro.

Duas crianças morreram no acidente na RJ-140Bruna Porto

Poucos quilômetros após a partida, às 7h30, o condutor teria tentado desviar de urubus na pista e raspou a lateral num caminhão, que vinha no sentido contrário. O veículo escolar tombou na pista, lançando as duas vítimas para o lado de fora. O caminhão e um Siena, que vinha logo atrás, caíram na ribanceira.

“O motorista corria um pouco e ninguém estava usando o cinto de segurança. Mas, como não sofri nada, ainda consegui ajudar dois colegas, um deles desmaiado”, completou um aluno, que estava em um dos últimos bancos do veículo.

O veículo, doado pelo estado ao município em 2010, fazia o transporte dos alunos desde o início do ano. Na 120ª DP (Silva Jardim), que investiga o acidente, o documento apresentado era relativo ao ano de 2010. O atraso de vistoria também consta no site do Detran.

No site do Inmetro, através do Renavam do veículo, também não há notificações do certificado referente ao lacre do tacógrafo, exigência para ônibus. O equipamento foi recolhido pela perícia, mas, sem o ‘selo’, pode ter sofrido adulterações.

Dezessete adolescentes e quatro adultos foram levados para a Policlínica de Silva Jardim, e outros dois alunos, para o Hospital de Araruama. Um deles, de 14 anos, está internado em estado grave.

Prefeitura se defende

A Prefeitura de Silva Jardim informou que desconhece o atraso do documento de vistoria e negou a superlotação do ônibus na hora do acidente e em outras ocasiões.

Documento do ônibus doado em 2010 ainda é daquele anoReprodução

A assessoria de imprensa acrescentou também que o condutor estava no limite de velocidade, segundo avaliação preliminar, e que não havia pessoas de carona no veículo. Os inspetores são orientados a colocar o cinto em todas as crianças.

Parentes de mortos querem justiça

“Eu nunca quis que ele usasse o transporte, e ele também tinha medo, porque os ônibus sempre iam cheios e de ‘pé embaixo’. Falava que ia acontecer algo, pois a estrada é perigosa, e agora aconteceu. Estou sem chão”, desesperou-se o padrasto de Jonathan, Genivaldo Corrêa.

“Criei ele desde os 2 anos e agora não sei o que será de nossa família. Perdemos um garoto ótimo, um companheiro, que sempre ajudava a mãe”, completou.

Genivaldo mostra foto do enteado Jonathan%3A ‘Criei desde 2 anos. Agora não sei o que será de nossa família’Paulo Alvadia

Sentado no meio do ônibus, Jeferson não teve tempo de se proteger. Lançado pela janela, o adolescente estava acompanhado do primo Ryan e do irmão Kléber, que está em estado de observação.

“O ônibus estava cheio. Ainda havia dois rapazes que pegaram carona”, contou Ryan, de 10 anos.

Ivanil Maria da Conceição, mãe de criação do menino, cobrou justiça. “Antes de sair de casa ele me deu um beijo, disse ‘fica com Deus’. Só quero justiça diante de tanto sofrimento”.

Seis feridos na Glória

Seis pessoas ficaram feridas numa colisão envolvendo ônibus e carro na Glória, na madrugada desta quarta-feira. O acidente aconteceu na pista central da Avenida Beira-Mar, sentido Centro, e uma árvore foi destruída com a batida. A via chegou a ser interditada.

Na batida%2C ônibus subiu canteiro e destruiu uma amendoeiraOsvaldo Praddo / Agência O Dia

O acidente ocorreu às 5h. Segundo o motorista do coletivo da linha 314 (Recreio-Central), Isaías Batista de Andrade, 54 anos, havia cerca de 20 passageiros. Ele disse que na altura da Praça Luís de Camões foi surpreendido por Honda Civic branco, que estaria na contramão.

Na colisão, o ônibus subiu o canteiro, derrubando a amendoeira. O motorista do carro e o carona ficaram presos às ferragens. A pista foi interditada. O caso foi registrado na 9ª DP (Catete).

Últimas de Rio De Janeiro