Menina de 16 anos é acusada de morte

Polícia investiga se tiro em amante foi proposital ou acidental

Por O Dia

Rio - A polícia investiga se o tiro que matou Newton da Silva Júnior, de 36 anos, nesta quarta-feira, em Paciência, na Zona Oeste, foi disparado pela suposta amante dele, de 16, de forma proposital ou acidental. Agentes da 35ª DP (Campo Grande) já ouviram a suspeita, procuram pessoas próximas à vítima e aguardam laudo da perícia.

Em depoimento, a adolescente afirmou que manuseava o revólver calibre 38 de Newton quando, sem querer, fez o disparo. Testemunhas, porém, acreditam em crime passional e relatam que eles discutiram pouco antes do assassinato, no imóvel que os dois teriam usado para encontros.

Newton, que foi baleado no tórax, ainda foi levado às pressas para o Hospital Pedro II, mas não resistiu ao ferimento. Caso fique comprovada a intenção de matar, a menor responderá por ato infracional análogo a homicídio doloso (com intenção) e cumprirá medida socioeducativa, que poderá chegar, no máximo, a três anos de internação.

Últimas de Rio De Janeiro