Por thiago.antunes

Rio - Apesar de toda a vigilância da Fifa, que não admite manifestações políticas ou religiosas nos estádios durante suas competições, o grito das ruas conseguiu ser ouvido no Maracanã.

Manifestante protestou no MaracanãFoto do leitor

O rapaz da foto, que usava aquela máscara muito comum nas passeatas, chegou, por algums minutos, a exibir cartaz com seu protesto. Logo depois, foi advertido pela organização do evento. Uma faixa em defesa dos antigos ocupantes do Museu do Índio e outra, com a frase

“‘O gigante acordou”, também foram vistas. No segundo tempo, o protesto foi diferente: parte do público gritou “O povo unido/jamais será vencido” e cantou o Hino Nacional.

Uma passarela no caminho

Torcedores obrigados a usar passarelaFernando Molica

A Fifa não se emenda. Torcedores que se dirigiam à rampa da Uerj para entrar no Maracanã eram obrigados a subir esta passarela para chegar até lá.

Tudo porque a entidade, como o Informe mostrou na terça, interditou a calçada com uma espécie de corredor para seus convidados. É aquele monstrengo verde, no fundo da imagem.

Fãs dos algozes

Uma hora e meia antes do início da partida, os jogadores do Taiti entraram em campo com roupas sociais para eternizar o momento lindo de jogar no Maracanã.

Mas, quando perceberam que os adversários espanhóis estavam no banco de reservas, viraram as câmeras para lá e trataram de clicar Xavi, Fabregas, Pedro e Casillas.

Você pode gostar