Por cadu.bruno

Rio - A Justiça negou, neste sábado, o pedido de prisão temporária feito pela 5ª DP (Mem de Sá), de cinco homens suspeitos de participação nos atos de vandalismo contra o prédio da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), no último dia 17. A informação foi divulgada neste sábado pela Polícia Civil. O pedido foi feito com base em filmagens e fotografias.

Alerj foi depredada após manifestaçãoFernando Souza / Agência O Dia

Em sequência de fotos e frames de vídeos, um deles aparece tentando quebrar a janela do prédio da Alerj com uma cadeira. Outro, com um coco na mão, integra o grupo que agrediu covardemente um policial militar. Já o terceiro pichava a parede da Casa e outros dois insuflavam os vândalos, com garrafa e coco nas mãos.

O pedido de prisão de cinco dias pelos crimes de dano ao patrimônio e formação de quadrilha foi feito, conforme prevê a legislação, ressaltando as características físicas dos acusados, além das imagens que mostram a conduta criminosa.

A Polícia Civil informou que continua analisando imagens registradas durante todos os atos. Caso as prisões fossem concedidas, as imagens seriam incluídas no Disque-Denúncia (2253-1177) para que a população colaborasse com a identificação dos cinco homens.

Você pode gostar