Por tamyres.matos

Rio - ‘Iú shuildi révi noaus di paice on évaisl, nááááiiitimeire”. Pode não parecer, mas esse é um trechinho da música ‘Nightmare’, do Avenged Sevenfold, banda americana que Arthur Pessoa, de 6 anos, espera, cantarolando, ver nesta edição do Rock in Rio. O pequeno, que faz parte da geração mais nova desta edição do evento, está animado, mas tem uma preocupação: “Não sei se vou conseguir ficar acordado o tempo todo”.

É a estreia de Arthur no universo das estrelas de rock, mas ele já está bem ensaiadinho. “Escuta em casa, no carro, canta junto, pede para aumentar o volume. Até já faz os clássicos gestos do ‘metal’”, enumera o pai orgulhoso, Flávio Pessoa, 44. O plano é sair de casa mais tarde. “Tenho que me preparar”, diz o menino, que já sabe algumas regrinhas básicas da infância. “Não vou falar com estranhos nem me afastar dos meus pais”, promete.

Arthur%2C de 6 anos%2C vai curtir o festival este ano pela primeira vezCarlo Wrede / Agência O Dia

No Rock in Rio, menores de 15 anos precisam estar acompanhados de pais ou responsáveis legais, com documento. Os organizadores recomendam que levem identificação presa ao corpo e sejam orientados a procurar o Ponto de Informação caso se percam.

Quem não conseguiu os disputados ingressos do festival pode ficar de olho na próxima edição da BabyBoom, primeira festa roqueira para pais e filhos. O evento existe há dois anos e reúne cerca de 250 pessoas.“Na festa tem minitudo. Minindie, minimetaleiro”, conta o idealizador da festa, o DJ e publicitário Fábio Maia. Aos 37 anos, é pai de Téo, 3, e divide com o filho o gosto pelo som pesado: “Tento apresentar outras referências para os filhotes”.

Pediatra dá orientações

Antonio Turner, coordenador da Pediatria do Hospital Balbino, dá algumas dicas preciosas para as crianças curtirem festivais, como usar calçado confortável, comer alimentos leves e beber bastante líquido. “Tem que usar protetor solar mesmo que esteja nublado e dar preferência a roupas folgadas”, ensina ele, lembrando que o barulho é prejudicial. “Procure ficar afastado do palco”, conclui.

Você pode gostar