Em 30 segundos, trio dribla segurança da Fifa

Eles saboreiam a fama, depois de mostrar faixa de protesto na cerimônia da finalda Copa das Confederações, pedindo a anulação da privatização do Maracanã

Por O Dia

Rio - Foram menos de 30 segundos. Tempo suficiente para que eles saíssem do anonimato e entrassem para a história como o trio que conseguiu protestar com faixas em pleno Maracanã lotado. Um dia após o episódio que deixou a tribuna de honra chocada e a Fifa perplexa na cerimônia de encerramento da Copa das Confederações, os três protagonistas da ousada manifestação se encontraram.

Em comum, ideais de um país mais justo e de cidadãos mais corajosos para lutar pelos seus direitos. A atriz Claudia Wer, de 42 anos, e o estudante Elton Angelo Carvalho, 30, se conheceram durante os ensaios para a apresentação final. Os dois se encontraram nesta segunda-feira pela primeira vez com o professor de interpretação, Alex Tietre, 35 anos, que abriu uma bandeira com os dizeres: “Ser gay é mara... Aberração é o preconceito!”.

Alex%2C Claudia e Elton%2C no dia seguinte ao protesto do Maracanã%3A o primeiro defendeu a causa gay%2C e os outros dois criticaram a privatização do estádioJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Foi de Claudia a iniciativa de procurar alguém no grupo de voluntários que aceitasse abrir a faixa na cerimônia. “Sou uma pessoas politizada, que não carrego bandeira de partido, mas faço parte do movimento que vai para as ruas. Resolvemos defender o Maracanã dentro do território dele. Foi um momento de extrema coragem”, afirmou ela, que assim como parceiro foram convidados a se retirar do gramado.

A mensagem “Imediata anulação da Privatização do Maracanã” foi feita no sábado e com um tecido elástico, que dobrava sem fazer muito volume. Foi Elton que entrou com a faixa presa ao corpo, detalhe que passou despercebido no detector de metais.

“Vi que os setores mais ‘populares’ ovacionaram, mas da tribuna de honra vieram vaias. Resolvi ser voluntário, porque queria assistir ao jogo final. Protestei porque é o momento da população ser ouvida”, contou Elton, que, assim como o restante do corpo de dançarinos, teve que assistir o jogo de um telão, fora do estádio.

Elton%2C no momento em que estendia a faixa na cerimônia da final da CopaAndré Mourão / Agência O Dia

Críticas de figurantes e apoio nas redes sociais

Após deixar o palco principal, onde se apresentou e conseguiu levantar a bandeira contra o preconceito gay, Alex Tietre se surpreendeu. Mas não foi positivamente. Muitos figurantes criticaram o fato de ele levantar a questão do homossexualismo, e não de assuntos como a fome, por exemplo.

“As pessoas acharam que esse tema não é relevante. Mas estou feliz com minha iniciativa. Minha mãe está com medo, teme que eu seja agredido por ser gay”, afirmou ele, que, no entanto, nas redes sociais recebeu muito apoio.

Alex ganhou a bandeira que levantou no Maracanã de uma amiga. Ele não sabia que Claudia e Elton tinha feito um protesto minutos antes dele. A decisão de escrever “Aberração é o preconceito!”, segundo ele, tem a ver com uma declaração polêmica atribuída à cantora gospel Mara Maravilha num programa de TV.

“Quando me vi voluntário da Fifa, numa estrutura cheia de dinheiro e trabalhando de graça, resolvi que podia fazer disso um protesto”, comentou ele, que está satisfeito com o resultado de seu planejamento.

Últimas de Rio De Janeiro