Por raphael.perucci

Rio - Pelos cipós da selva de pedras, Vanderson C. Santos, de 49 anos, resgata animais da beira da morte em missões dignas de cinema. O homem conhecido como Tarzan na Grande Tijuca faz jus ao apelido. Diz já ter se envolvido em mais de mil ‘confrontos’ por causa dos bichanos. Prefere o convívio dos peludos ao dos seres humanos e chama todas as namoradas e esposas de Jane. Na hora de dar entrevista, prefere a terceira pessoa. “Escreve aí: Tarzan diz que não trocaria seus animais por ninguém. São mais sinceros e menos traidores”. Anotado!

O atual chefe de segurança (ex-inspetor da guarda na Baixada) está no quinto casamento, mas diz que o convívio maciço com animais nunca atrapalhou as relações. Quem fez isso foram as sogras. “Sou muito selvagem com as mulheres na intimidade. Elas gostam. Digo: deita aí que vou te mostrar quem é o Tarzan. Não é carinho, sou seu machão”, ensina, rindo.

Vanderson C. Santos é famoso por resgatar e cuidar de animaisJoão Laet / Agência O Dia



153 animais de rua salvos

Ele garante que, de setembro de 2010 a junho deste ano, já salvou 153 animais de rua, que seriam sacrificados por “maldade pura”. Doou a metade dos peludos, e os com sequelas foram levados para o veterinário. Ainda mantém em sua casa 70 bichos, entre gatos, cães e tartarugas, e alimenta todo dia mais 200 nas ruas. Todo mundo que vê crueldade animal nas redondezas, liga para ele. Após denúncia, em incursão no Morro dos Macacos, resgatou cadela que teve os quatro filhotes queimados e já ia para a fogueira.

Na casa de Tarzan, eles têm tratamento VIP. “Preparei a parte de baixo toda para recebê-los bem. Tem camas, TV, ração, fruta”, descreve, com um conselho importante: quem quer ter bicho precisa ter higiene. “A primeira coisa que faço todo dia é limpar a casa toda”. Ele tem ajuda de doações de vizinhos, de petshops e de um irmão para arcar com os R$ 4 mil gastos por mês com os pequenos.

Vanderson cuida de animais desde os 16 anos, inspirado no exemplo da mãe, que, segundo ele, era “humilhada por dar comida aos bichos”. É praticante de vale tudo e halterofilismo desde essa idade. Há 30 anos, montou academia de rua em Vila Isabel que atende 24 horas mais de 1.100 pessoas das comunidades do Andaraí, São João, Cruz e Borel. “Tirei vários jovens das drogas através do esporte”, orgulha-se ele, que é evangélico.

1- HÁ MUITOS CASOS DE MAUS TRATOS A BICHOS NO RIO?
Só a Comissão de Representação de Políticas Públicas de Proteção a Animais da Alerj tem 60 denúncias a cada 3 meses.

2- O QUE FAZER PARA AJUDAR?
A Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais, do município, criou há pouco tempo o programa Centros de acolhimento.

3- COMO FUNCIONA?
O município oferece assistência veterinária, remédio, esterilização, vacinação e percentual da ração consumida a quem tem em casa 20 ou mais animais, como Tarzan.

4- E COMO FAZ PARA SE INSCREVER?
A inclusão no programa se dá por meio de um cadastro feito na própria secretaria, complementado por uma inspeção técnica.

5- COMO DENUNCIAR CRUELDADE COM OS BICHOS?
A prefeitura orienta a ligar para a Central de Atendimento ao Cidadão (1746) e acompanhar a denúncia.

Você pode gostar