Por marlos.mendes
Mais de 300 moradores receberam a Cruz Peregrina e participaram de missa celebrada pelo arcebispo do Rio Dom Orani TempestaSeverino Silva

Rio - No 9º dia de peregrinação pela cidade, os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude — a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora — chegaram à Ilha de Paquetá. A passagem, neste domingo, teve duração de 40 minutos, tempo suficiente para deixar os cerca de 300 fiéis emocionados. A cruz e o ícone chegaram a bordo de um barco da Marinha, às 11h, acompanhados por voluntários da Jornada e pelo arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta.

Depois de Paquetá, os símbolos seguiram para Ipanema, onde passaram a tarde na Igreja de Nossa Senhora da Paz. Hoje, o Morro do Vidigal os receberá. Nesta terça, será a vez da unidade do Inca 4, no Grajaú, e da Catedral do Rio, no Centro.  Os locais de peregrinação dos símbolos foram escolhidos pela Arquidiocese do Rio. Ao todo, 130 lugares foram contemplados. As visitas vão até quinta-feira.

O Papa Francisco pediu ontem orações pela Jornada Mundial da Juventude, durante a celebração do Angelus em Castel Gandolfo, residência papal de férias a 20 km de Roma.

RECADO DE FRANCISCO

“Partirei em oito dias, mas muitos jovens partirão para o Brasil antes. Oremos por essa grande peregrinação que começa, para que Nossa Senhora de Aparecida, a padroeira do Brasil, guie os passos dos participantes e abra seus corações para que recebam a missão que Cristo lhes dará”, disse o Pontífice. Espera-se a participação, na Jornada, de entre 1,5 e 2 milhões de jovens, principalmente da América do Sul.

Ao desembarcar em Paquetá%2C a Cruz Peregrina foi carregada até a igreja Senhor do Bom Jesus do Monte Severino Silva / Agência O Dia



Procissão e missa rezada por Dom Orani

Em Paquetá, houve rápida procissão seguida de missa celebrada por Dom Orani na Paróquia Senhor do Bom Jesus do Monte. “As pessoas veem nos símbolos um chamado para encontrar caminhos novos para humanidade. É muito bonito ver que existe a esperança em Cristo”, explicou.

“Acordei e vim para o cais esperar os símbolos. É uma emoção imensa receber a cruz aqui”, disse a dona de casa Irani Ribeiro, 65 anos. O eletricista José Araújo, 54, foi a Paquetá ver os objetos sacros. “Fiz promessa e disse que iria tocar o ícone de Nossa Senhora se meu pedido fosse alcançado”, comemorou.

Você pode gostar