Por cadu.bruno

Rio - Os excessos das forças de segurança nos protestos que tomaram as ruas do Rio colocam em questão os procedimentos adotados pela polícia na cidade. A opinião é do advogado Felipe Santa Cruz, presidente da OAB no Rio, instituição que, realiza, na próxima sexta, às 14h, audiência pública sobre o papel da segurança no estado.

- Os protestos no Rio levaram muitos manifestantes a levantarem a bandeira da desmilitarização da polícia. Como o sr. vê isso?

Não é questão de desmilitarizar, mas de fazer da Polícia Militar uma polícia cidadã. Historicamente, a PM foi treinada para ser uma polícia de ocupação e enfrentamento, uma polícia que entra na favela para trazer os corpos. Na medida em que vemos a recuperação dos territórios ocupados pelo tráfico de drogas, devemos, aos poucos, substituir a polícia militar por uma polícia cidadã, voltada para os direitos do povo, e não para a repressão.

- Os policiais são treinados para isso?

Falta uma discussão sobre os procedimentos da polícia militar. Um exemplo é a conduta da PM durante as manifestações no Rio. A polícia que atua no controle de multidões não pode ser a mesma que é treinada para operações contra o tráfico de drogas. O policial que vai para a manifestação precisa ser treinado de modo que aguente, por exemplo, ser xingado, como tem acontecido nos protestos, mas sem reagir. Não há orientação ou cartilha sobre os procedimentos a se adotar em uma passeata.

Você pode gostar