Por cadu.bruno

Rio - Um incêndio atingiu uma pousada do AfroReggae e a redação do jornal Voz da Comunidade, na madrugada desta terça-feira, no Complexo do Alemão, na Zona Norte da cidade. Bombeiros do quartel de Ramos foram acionados para combater o fogo. Os estabelecimentos ficavam no mesmo prédio, na Rua Joaquim de Queiroz, na Favela da Grota.

Dois homens entraram no prédio por um basculante. Eles roubaram um micro-ondas e um ar condicionado. Em seguida, teriam ateado fogo na redação do jornal. As chamas alertaram vizinhos, que acionaram os bombeiros. O terceiro andar, onde ficava localizada a redação, ficou completamente destruído.

Foto da redação do Voz da Comunidade incendiada foi postada na InternetReprodução Internet


De acordo com bombeiros, um homem identificado como Wagner M. da Silva, de 20 anos, foi atingido pelas chamas e encaminhado ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Não há informações sobre o estado de saúde da vítima.

Dono do jornal, o estudante Rene Silva postou uma foto no Facebook da redação destruída pelas chamas. "Nem tão bom dia assim, redação do voz da comunidade amanhece assim nesta terça-feira", escreveu. A redação foi um presente do programa “Caldeirão do Huck”, em 2010.

O jornal ganhou notoriedade durante a ocupação policial no Complexo do Alemão, em novembro de 2010, quando René dava informações em tempo real por sua conta no Twitter.

O fundador do AfroReggae, José Junior, disse no Twitter que o incêndio foi criminoso: “Fomos acordados com o incêndio criminoso da pousada do AfroReggae no Alemão”. A ONG reformava o local para construir a pousada, que receberia universitários.

O edifício está interditado pela Polícia Civil, que vai realizar perícia no local. O caso será investigado pela 22ª DP (Penha).

Você pode gostar