Preso suspeito de liderar o tráfico no Morro da Casa Branca

Mocotó foi capturado após denúncia anônima. Ele é acusado de vários homicídios na favela da Zona Norte

Por O Dia

Rio - Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Borel prenderam, na tarde desta terça-feira, Orlando Cézar Conceição, o Mocotó, de 51 anos. Ele é suspeito de chefiar o tráfico no Morro da Casa Branca, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Mocotó estava escondido na Favela da Rocinha, na Zona Sul, e foi capturado após uma denúncia anônima. No momento da captura, o acusado bebia em um bar do local.

Mocotó foi capturado após denúncias feitas a PMs da UPP do BorelDivulgação

Segundo os policiais, Orlando é acusado de tráfico de drogas e diversos homicídios. O último deles teria ocorrido na madrugada do dia 1º de julho, quando uma mulher foi morta no Borel, acusada de ser informante dos PMs.

Na ocasião, dois homens entraram na casa, mataram a jovem e balearam a mãe e irmã dela. A mãe dela, Rosângela Lopes, de 49 anos, e a irmã Bianca Lopes, de 9 anos, ficaram feridas e foram levadas para o Hospital Federal do Andaraí (HFB).

Daniel da Conceição Maciel Mota, o PQD, um dos acusados foi preso na Tijuca por policiais da Divisão de Homicídios (DH). O seu comparsa, Adriano Santos da Conceição, está foragido. De acordo com os PMs, PQD é filho de Mocotó e teria cometido o crime a mando do pai.

Mocotó foi preso em 2001 e fugiu oito anos depois, indo para a Rocinha após a instalação da UPP no bairro da Zona Norte. Ele tinha 10 passagens pela polícia e 11 mandados de prisão pelos crimes.

O Disque-Denúncia oferecia R$ 1 mil por sua captura. O acusado foi encaminhado para a 19ª DP (Tijuca), onde o caso foi registrado.

Últimas de Rio De Janeiro