Por thiago.antunes

Rio - Durante uma reunião no Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), com representantes da promotoria, do Governo do Rio e da cúpula de segurança do estado, foi criado nesta quinta-feira, uma Comissão Especial para trabalhar em conjunto nas investigações dos atos de vandalismo durante as manifestações no Rio, como a de quarta-feira, no Leblon, quando lojas e agências bancárias foram destruídas.

“Queremos responsabilizar quem pratica vandalismo, pois estes grupos estão crescendo e se tornando mais violentos. A Comissão vai fazer uma investigação sistêmica e vamos descobrir como eles conseguem coquetel molotov, por exemplo. O MP vai atuar em parceria com a PM e Polícia Civil”, comentou o Procurador-Geral de Justiça, Marfan Martins Vieira.

Ainda segundo ele, a atuação da Polícia também será investigada. “Na manifestação de quarta já tinha membros do MP infiltrados para tirar fotos e filmar a ação de grupos, assim como a auditoria da Polícia Militar, que acompanhou a atuação da PM, que foi muito provocada e não reagiu muito”, afirmou.

MPcriou, junto à PM e Civil, Comissão Especial para investigar atos de vandalismo durante manifestaçõesDiego Valdevino / Agência O Dia

De acordo com o secretário de Estado da Casa Civil, Régis Fichtner, a polícia está diante de um fenômeno novo.

“Estamos passando por novos desafios, pois as ações criminosas estão predominando as manifestações. Vamos preparar amanhã (sexta-feira) um decreto do Estado para formar a Comissão Especial, onde cada órgão vai indicar um representante”, avisou o secretário, que se reuniu também com a chefe de Polícia Civil, Martha Rocha, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame e o comandante geral da PM, Erir Ribeiro.

Você pode gostar