Treze detentos são acusados de matar traficante de cela

Dudu da Rocinha teria sido induzido à overdose

Por O Dia

Rio - A Justiça decretou nesta segunda-feira a prisão preventiva de 13 detentos de duas unidades prisionais, sob a acusação de envolvimento na morte do traficante Eduíno Eustáquio de Araújo, o Dudu da Rocinha. Ele foi encontrado morto em uma cela do presídio Vicente Piragibe, em Bangu, no início do mês. A decisão foi do juiz Murilo Kieling, com base nas apurações feitas pela polícia, que pediu a transferência dos acusados para penitenciárias fora do estado.

Dez dos suspeitos são da mesma unidade onde Dudu cumpria pena por tráfico. As investigações dão conta que os criminosos atribuíram a Dudu a perda de um paiol que eles mantinham escondido no presídio. No local, armas, drogas, munição, granadas e celulares eram armazenados.

A carga teria sumido após Dudu sair de um castigo, onde permaneceu por duas semanas antes de sua morte. Ainda segundo as investigações, quatro homens ficaram vigiando na entrada da cela, enquanto outros cinco pegaram Dudu. Eles teriam dado golpes tipo mata-leão e obrigado a vítima a cheirar grande quantidade de cocaína.

O laudo do exame toxicológico feito no corpo de Dudu ainda não ficou pronto, mas o laudo de necropsia apontou que ele foi morto por asfixia e apresentava várias marcas no pescoço.

Últimas de Rio De Janeiro