Por tamyres.matos

Rio - O homem acusado de estuprar e matar publicitária Patrícia Gomes Ávilla foi morto, nesta quarta-feira, por dois soldados da Polícia Militar que estava de serviço no Regime Adicional de Serviços (RAS) do 20º BPM (Mesquita).

Antônio Marcos era acusado de ser um dos autores do homicídio da publicitária Antônio MarcosDivulgação

Segundo comandante do 20º BPM, o tenente-coronel Max Fernandes dos Santos, Antônio Borges da Siva caminhava no Centro de Nova Iguaçu quando foi reconhecido pelos policiais. Na abordagem, ele correu, puxou um revólver calibre 38 e fez disparos em direção aos PMs, que o balearam em resposta.

Antônio era acusado ainda de sequestrar a jovem Liliane dos Santos, de 28 anos, no bairro Jardim da Viga, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele foi atingido no peito e chegou a ser levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse), mas não resistiu aos ferimentos.

Morte da publicitária

Patrícia Gomes foi encontrada morta no dia 21 de junho, em um terreno baldio no município de Queimados. Antônio Marcos teria abordado a vítima quando ela estacionava seu carro em frente à casa de sua esteticista, na Penha, Zona Norte do Rio.

De acordo com o delegado Daniel Mayr, titular da 55ª DP (Queimados), após abordar a vítima, Antônio Marcos assumiu a direção do veículo, a conduzindo até a Baixada Fluminense, onde o seu corpo foi encontrado.

O acusado tinha duas passagens por ameaça, seis por roubos de veículo, seis por extorsão, uma por porte ilegal de arma de fogo, uma por roubo a transeunte e uma por atentado violento ao pudor. Contra ele existem quatro mandados de prisão pendentes.

Você pode gostar