Por bianca.lobianco

Rio - O deputado estadual Geraldo Pudim, que está acompanhando o caso do desaparecimento do pedreiro Amarildo, disse que vai entrar na Justiça, na Vara de Família, pedindo pensão para os filhos do pedreiro e aluguel social. Ele responsabiliza o estado, "já que Amarildo foi pego por PMs da UPP da Rocinha".

Durante reunião realizada, nesta quinta-feira, no Ministério Público com os filhos de Amarildo, o procurador-geral de Justiça Marfan Martins Vieira disse que "houve uma grave violação dos direitos humanos e que o Ministério Público não vai admitir isso".

O encontro também teve a presença dos procuradores da área de Direitos Humanos, além de Geraldo Pudim. Segundo eles, a família não fez nenhum pedido especial. Os parentes da vítima não quis falar com a imprensa.

O delegado titular da Delegacia de Homicídios (DH) Rivaldo Barbosa informou que vai ouvir novamente os PMs envolvidos no caso e o major da UPP da Rocinha, Edson Santos. Ele acrescentou que vai realizar todo o procedimento feito pela 15ª DP. As diligiências já começaram nesta quinta-feira.

Você pode gostar