Protesto no Arpoador exige apuração rigorosa na CPI dos Transportes

Em intervenção criativa, grupo montou uma pirâmide com mais de cem caixas de papelão pintadas de preto no Arpoador

Por O Dia

Rio - Uma intervenção organizada pelo grupo Alalaô Rio montou uma pirâmide com mais de cem caixas de papelão pintadas de preto na praia do Arpoador, na Zona Sul do Rio, na tarde deste sábado. O objetivo é chamar atenção da população para os contratos da Prefeitura do Rio com as empresas de ônibus da cidade, a que chamam de "caixa preta" dos transportes da cidade.

Durante o movimento, o grupo convidou cariocas a pintarem suas próprias caixas na areia. Também foram coladas imagens de baratas, em alusão a Jacob Barata, empresário do setor de transportes. Crianças também participaram da atividade.

O objetivo é levar as caixas pintadas para montar uma pirâmide em frente à Câmara Municipal do Rio durante reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito criada para investigar os contratos municipais com as empresas de ônibus. A data da primeira reunião da CPI deve ser definida no início da semana.

"Levei uma caixa preta que tinha uma barata, enquanto minha mulher, que é italiana, fez uma com a cara do Silvio Berlusconi. Juntamos os dois. Queremos partir dos problemas locais, mas também falar da caixa preta do mundo", afirma Marcio Botner, idealizador do grupo Alalaô ao lado dos artistas Ernesto Neto e Marcos Vagner.

Últimas de Rio De Janeiro