Família de mulher assassinada no Recreio pensa em voltar para o Ceará

Depoimento de vizinha pode ajudar a polícia a encontrar Jenifer da Silva Araújo, de 11 dias, que foi sequestrada nesta segunda na Zona Oeste

Por O Dia

Menina Jenifer está desaparecidaAlessandro Costa / Agência O Dia

Rio - O depoimento da vizinha de Diana Oliveira da Silva, de 33 anos, morta num matagal com sinais de estrangulamento, pode ajudar a polícia a encontrar a bebê Jenifer da Silva Araújo, de 11 dias. Mãe e filha foram raptadas na tarde desta segunda-feira, após saírem do posto de saúde da comunidade Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste. A criança foi roubada e a mãe acabou morta.

Carla Bispo de Oliveira, vizinha da vítima, disse à polícia que encontrou Diana pouco antes do sequestro. Ela chegou a pedir para que a vítima a esperasse, mas Diana alegou que estava chovendo muito e que esperaria Carla na estação do BRT. A testemunha informou ainda que quando saiu do posto, viu Diana acompanhada por uma mulher forte e morena. Carla disse que chamou Diana novamente, mas ela respondeu que já voltava.

A vizinha então andou até a estação Guiomar Novaes e esperou o segundo BRT, já que o primeiro estava muito cheio. Quando o segundo ônibus passou, Carla encontrou a mulher suspeita com Jenifer no colo e foi tomar satisfação. "Cadê a mãe da garota que está no seu colo?", perguntou. Após discussão, Carla desceu na estação Recanto das Garças e avisou para as pessoas que a filha de Diana havia sido roubada.

Segundo relatos, a suspeita desceu na estação Notre Dame e perguntou para uma criança como ir até Santa Cruz. Depois, ela voltou para a estação do Shopping Recreio e perguntou a um guarda municipal como voltar a Santa Cruz.

Diana Oliveira da Silva com a filha ainda na barrigaAlessandro Costa / Agência O Dia

O delegado Fábio Cardoso, da Divisão de Homicídios (DH), já colheu depoimento de sete pessoas nesta terça-feira. Outras testemunhas são aguardadas. Cardoso espera imagens câmeras de segurança localizadas dentro do BRT. Elas podem ajudar a identificar a mulher acusada de matar Diana e sequestrar o bebê.

O delegado teve acesso a um novo vídeo que mostra as duas mulheres próximo a uma obra. Ele não descarta a possibilidade de outra pessoa ter participado da morte de Diana.

Imagens de câmeras de segurança mostram a suspeita, às 12h20, na roleta da estação do Recreio Shopping com uma criança, que seria Jenifer. Às 12h32, ela é vista na estação Notre Dame do corredor Transoeste. Vigilantes prestaram depoimento.

Parentes querem voltar para o Nordeste

Familiares tentam transferir o corpo de Diana para o Ceará, onde nasceu. A cunhada de Diana, Jane Lobo, de 18 anos, disse que a família também pensa em retornar para o Nordeste.

"Na minha cidade não acontecem coisas como estas, a gente até vê na televisão, mas nunca acredita que vai acontecer com a gente. A minha vontade é de não ficar nem mais um segundo aqui, mas ao mesmo tempo queremos encontrar a criança e fazer que quem fez isso com a Diana pague", desabafou.

Diana morava com o marido Francisco, dois irmãos, a cunhada Jane, o filho do casal de 10 anos e a bebê de 11 dias.


“Falei com a Diana às 9h, e ela estava em casa. Mais tarde, voltei a ligar, e ela estava no posto. Depois, o celular estava desligado”, afirmou o marido, Francisco de Assis.

À noite, parentes e amigos da vítima fizeram protesto e interditaram trecho do BRT na Avenida das Américas nesta segunda. O serviço foi suspenso por 40 minutos e prejudicou o trânsito na região.

Últimas de Rio De Janeiro