Feira de São Cristóvão só tem quatro bombeiros na brigada

Domingo, incêndio destruiu dois estabelecimentos e atingiu outros três

Por O Dia

Rio - As lições da tragédia na Boate Kiss, em Santa Maria (RS), que deixou 242 mortes em janeiro, parecem já terem sido esquecidas pelas autoridades. O incêndio que destruiu dois estabelecimentos e atingiu outros três na Feira de São Cristóvão, por volta das 22h de domingo, só não feriu ninguém por sorte. O espaço, com 700 barracas e 34 mil metros quadrados, conta apenas com quatro bombeiros civis na brigada de incêndio, que não conseguiram conter o início das chamas com extintores e hidrantes.

Incêndio destruiu alguns estabelecimentos na Feira de São CristóvãoOsvaldo Praddo / Agência O Dia

“Eles (os brigadistas) estavam atônitos e não tiveram nenhum sucesso, o que poderia causar uma desgraça, pois há muito material inflamável e botijões de gás aqui”, disse o tenente-coronel Luiz Eduardo Firmino, logo após o fogo ter sido controlado. Bombeiros foram acionados e conseguiram apagar as chamas após uma hora de combate.

No início da noite de ontem, a Defesa Civil amenizou o ocorrido garantindo que a feira cumpre todas as normas contra incêndio e pânico. O órgão informou ainda que não há qualquer risco de interdição.

“Graças a Deus, era domingo, quando o movimento é pequeno a essa hora. Se fosse sexta ou sábado, ia morrer gente pisoteada, eu vi muita gente correndo”, alertou Gustavo Almeida, 30, que trabalha em uma loja de roupas.

Últimas de Rio De Janeiro