Informe do Dia: Jogo duro com o PT

Não foi tranquila a conversa que definiu o adiamento da reunião do PT-RJ

Por O Dia

Rio - Não foi tranquila a conversa que definiu o adiamento da reunião do PT-RJ, marcada para ontem, em que seria discutido o rompimento com o governo estadual. Presidente do partido, Rui Falcão foi duro com Lindbergh Farias, pré-candidato ao Palácio Guanabara.

Falcão disse que ainda não chegou a hora de o PT sair do secretariado de Sérgio Cabral. Afirmou que a precipitação colocaria em risco a candidatura de Lindbergh que, hoje, considera garantida. Ainda frisou que está em curso uma negociação para entregar a vaga de vice ao PMDB.

Desejos de cada um

Um petista que esteve com Cabral semana passada lembra que ele deu brecha para um acordo. Citou que queria ver o PT ao lado de Pezão da mesma forma com que petistas gostariam de ter o apoio do PMDB. O governador citou que a definição só ocorrerá em 2014.

A TV do senador

Depois da conversa com Falcão, Lindbergh cancelou a reunião. Mas não desistiu do ataque: tem gente no PT preocupada com críticas a Cabral no programa de TV que vai ao ar na próxima semana. O senador foi aconselhado a pegar leve.

Planos para o governo Pezão

Mas o PMDB não fala em desistir da candidatura de Pezão que, em janeiro, deverá assumir o governo para mostrar que pode conduzir a administração do estado. De olho na eleição de outubro, o partido quer ressaltar a atuação do vice na gestão de Cabral, mas, ao mesmo tempo, reforçar suas diferenças em relação ao atual governador. Pezão reduziria o número de secretarias e trocaria muitos de seus titulares. O estilo do vice — mais discreto, pouco afeito às regalias do poder — seria outro trunfo.

Últimas de Rio De Janeiro