Por nara.boechat

Rio - Policiais da Divisão de Homicídios (DH) terminaram ontem, novamente sem sucesso, as buscas pelo corpo do pedreiro Amarildo de Souza, desaparecido desde o dia 14 de julho. Os agentes vasculharam trechos de mata no alto da Rocinha, com ajuda de bombeiros e cães farejadores. A especializada pretende fazer uma reconstituição ainda nesta semana.

Policiais e bombeiros fizeram buscas pelo corpo de AmarildoAlessandro Costa / Agência O Dia

De acordo com o delegado titular da DH, Rivaldo Barbosa, parentes de Amarildo receberam informações de que o corpo dele teria sido enterrado na área. A polícia segue com duas linhas de investigação no caso: a participação de policiais militares ou traficantes. “Vamos continuar as buscas. Qualquer informação é importante”, afirmou Barbosa.

Anderson Gomes, um dos filhos de Amarildo, acompanhou os trabalhos. “Só acharam imagens dele entrando na UPP. E saindo, cadê?”, questionou. O rapaz ainda descartou a participação do tráfico no sumiço do pai. “Para ter certeza de que foi o tráfico, tem que ter alguma prova. Aí eles podem falar que é o Papa, o Lula, a Dilma, quem eles quiserem”, finalizou.

A Corregedoria da Polícia Militar também investiga as circunstâncias do desaparecimento do pedreiro.

Você pode gostar