Por marcello.victor

Rio - Uma das vítimas da queda do ônibus da Viação Itaguaí, do Viaduto do Tobogã, no Centro de Itaguaí, na Baixada Fluminense, que matou seis pessoas e deixou 34 feridas - seis em estado grave - no fim da tarde desta quarta-feira, denunciou que o motorista dirigia em alta velocidade.

Ainda segundo o estudante Everton Monteiro, de 18 anos, minutos antes Carlos Alberto Oliveira da Silva, 39, bateu num carro próximo ao ponto final da linha que dirigia, na Avenida Doutor Curvelo Cavalcante, principal via do município.

Ônibus cai de viaduto e deixa pelo menos seis mortosCarlos Roberto / Jornal Atual / Agência O Dia

"Estava indo para o ponto final pegar o ônibus quando vi que o ônibus bateu num carro. Ele e o motorista do veículo discutiram muito e cada um seguiu seu caminho. Uma senhora reclamou com ele e ele foi grosseiro com ela. O motorista (do ônibus) estava muito nervoso e já saiu do ponto correndo. Mas aqui é assim mesmo: os motoristas correm muito, já estamos acostumados porque ninguém faz nada", contou o rapaz.

Everton e a namorada, Rosekelly Nascimento, 16, ficaram feridos. Eles foram socorridos no Hospital São Francisco Xavier, em Itaguaí. Até a noite desta quarta-feira ele havia sido liberado e ela estava em observação.

Um drama entre os feridos é o da dona de casa Soleise Imbuzeiro dos Santos, 29, que estava intenada em estado grave até a noite de quarta-feira no Hospital São Francisco Xavier. Ela é mãe do pequeno Josué, de um ano, e se machucou muito para proteger o filho. A vítima havia saído com o filho para fazer compras para casa.

Everton Monteiro ficou ferido no acidente e disse que motorista corria muitoErnesto Carriço / Agência O Dia

"Ela agarrou o menino para que ele não se machucasse. Ele está com o rosto inchado, mas já foi para casa. Ela ficou muito ferida na cabeça e está com os olhos inchados, que não abrem. Se Deus quiser, ela vai ficar bem", disse a tia, Soluar De Brito, 54.

Moradores de Coroa Grande estão entre os mortos

José Antônio Moreira e o estoquista das Casas Bahia de Itaguaí, Marcos Jorge, morreram no acidente. O primeiro voltada do médico com a mulher, Dalva Moreira, que se feriu, e Marcos saíra do trabalho. Todos iam para Coroa Grande, badalado bairro litorâneo de Itaguaí, onde moravam. Até a noite desta quarta-feira, Dalva estava em estado grave no Hospital São Francisco Xavier.

Amigos das vítimas, a fonoaudióloga Amanda Mendonça de Menezes, de 29 anos, e a mãe dela, a dona de casa Iolanda Mendonça de Menezes, passaram a noite no hospital esperando a transferência de Dalva.

Acidente de ônibus em Itaguaí deixa mortos e feridosCarlos Roberto / Jornal Atual / Agência O Dia

"Ela está inconsciente, por isso ainda não sabe da morte do marido. Os ônibus que fazem essa linha são todos velhos. É um absurdo", denunciou Amanda.

Iolanda lamentou a morte de Marcos. "Ele era como um filho, um rapaz maravilhoso", disse ela, chorando.

Mortos ainda não foram identificados

Dos quatro homens e duas mulheres mortos no acidente em Itaguaí apenas o motorista Carlos Alberto Oliveira da Silva tinha sido identificado até o início da madrugada desta quinta-feira, segundo o Instituto Médico Legal (IML) de Campo Grande.

No total, 21 feridos foram socorridos no Hospital Municipal São Francisco Xavier e cinco na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ambos de Itaguaí, e oito no Hospital Estadual Pedro II, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio. Seis vítimas estão em estado grave. Os números são do Corpo de Bombeiros e da Prefeitura do município.

De acordo com funcionários do Hospital Pedro II, quatro pessoas já teriam tido alta da unidade. Três mulheres passaram por cirurgias na noite de quarta-feira e permanecem internadas, assim como uma adolescente de 12 anos.



Você pode gostar