Por bianca.lobianco

Rio - Um vídeo mostra uma jovem sendo agredida por policiais durante protesto que ocorreu nas ruas do Centro na noite desta terça-feira. Nas imagens é possível ver os PMs dando chutes e pontapés, além do uso de cassetetes em uma mulher. Os cinegrafistas que flagraram a cena e todos que presenciaram o ato de violência defendiam a vítima aos gritos: "É mulher, é mulher". Em resposta, um PM pediu para que não atrapalhassem o trabalho da polícia. Outras pessoas também sofreram agressões físicas, como é mostrado no vídeo. 

A jovem identificada como Rani Messias Castro, de 19 anos, afirmou que os PMs a confundiram com um homem e falaram que ela estava "preso". Rani acrescentou que conseguiu identificar um dos policiais acusados pela agressão. A jovem está acampada na Delfim Moreira, próximo ao prédio do governador Sérgio Cabral, há 15 dias.


O protesto contra o governador Sérgio Cabral, que começou em Laranjeiras, na Zona Sul, terminou em confronto entre PMs e manifestantes, além de quebra-quebra promovido por um grupo isolado. Na Rua das Laranjeiras, todas as agências bancárias foram destruídas, além das lixeiras terem sido arrancadas e uma concessionária ter sido depredada. A quantidade de pontos de ônibus destruídos chocou os moradores. Ao todo, cinco pontos foram completamente depredados.

O tumulto teve início quando manifestantes que tinham se reunido no Largo do Machado seguiram rumo ao Palácio Guanabara. Eles foram impedidos por um bloqueio de policiais de seguir avançando pela Rua Pinheiro Machado. O grupo forçou a passagem e a PM reagiu. Houve disparos de balas de borracha, gás lacrimogênio e spray de pimenta. Pedras e fogos de artifício foram lançados contra os militares.

Concessionária foi depredada por grupo durante protestoSeverino Silva / Agência O Dia

Os manifestantes acabaram rechaçados pelos policiais. Um PM foi ferido na cabeça. Ele foi levado para o Hospital Central da corporação, no Estácio, na Zona Norte, e levou oito pontos.

A estudante de Direito da Universidade Federal do Rio (UFRJ), Thaís Justo, de 24 anos, foi ferida na cabeça, mas não sabia se por uma bala de borracha ou uma pedra. Médicos voluntários da área de saúde que acompanharam a manifestação prestaram os primeiros socorros. Ela foi levada para o Hospital Municipal Souza Aguiar (HSA), no Centro. Ainda não há informações sobre seu estado de saúde. Uma mulher e um homem atingidos por balas de borracha no rosto e no supercílio, respectivamente, também foram socorridos pelos voluntário e liberados.

Grupo Black Bloc entra em confronto com a polícia em LaranjeirasAndré Mourão / Agência O Dia

Após o conflito em Laranjeiras, um grupo de manifestantes seguiu para a 5ª DP (Mem de Sá) para onde estavam sendo levados os detidos. Na Avenida Gomes Freire eles entraram em confronto com a PM. Um ônibus da linha 162 (Glória-Leblon), da Viação São Silvestre, que faz ponto final na via, foi depredado por volta das 23h. Uma agência do Banco Itaú que fica em frente também foi atacada. Bares da região foram forçados a fechar mais cedo devido ao tumulto.

O funcionário da TV Brasil, Arthur Vaz, de 59 anos, levou 18 pontos em dois dedos da mão em decorrência do confronto na Avenida Gomes Freire. Ele chegava para trabalhar, por volta das 23h, quando foi surpreendido pelo tumulto. Ele acabou caindo e sofrendo os cortes na mão. Atendido no HSA, ele acabou voltando para casa.

Todos os detidos foram liberados durante a madrugada.


Você pode gostar