Por tamyres.matos

Rio - A defesa da família de Amarildo de Souza não acredita que a reconstituição do caso — que vai acontecer hoje à tarde na Rocinha — ajude a solucionar o mistério do desaparecimento do pedreiro. Segundo o advogado João Tancredo, os parentes estão convictos de que o homem foi assassinado. A reconstituição é um método que a polícia utiliza para esclarecer pontos divergentes ou importantes para uma investigação.

Com base na apuração, os agentes da Divisão de Homicídios pretendem remontar os últimos passos de Amarildo na noite de 14 de julho, quando foi levado por PMs da UPP e nunca mais foi visto. As investigações passaram pela 15ª DP (Gávea) antes de serem encaminhadas para a Divisão de Homicídios.

Polícia Civil vai remontar os últimos passos de Amarildo na RocinhaAlessandro Costa / Agência O Dia

“Conversei com o delegado, eles vão usar figurantes e testemunhas. Ainda não se sabe o que aconteceu depois que ele sumiu, mas não consigo ver no que a reconstituição vai esclarecer sobre o desaparecimento, já que nenhum dos responsáveis vai contar o que realmente aconteceu”, comentou Tancredo.

Ele ressalta que os parentes acreditam na hipótese de que o pedreiro tenha sido supostamente morto após agressões. “A família não tem esperança de encontrar o corpo”, afirmou o advogado. Ainda segundo Tancredo, a mulher da vítima e outras duas testemunhas vão participar da reconstituição hoje.

Você pode gostar