Por thiago.antunes

Rio - O presidente de um dos blocos carnavalescos mais conhecidos da Zona Sul, o Cardosão de Laranjeiras, registrou queixa de ameaça contra o grupo Black Bloc, que atua em manifestações na cidade. Segundo o registro de ocorrência número 009-05782/2013, feito na 9ª DP (Catete) por Douglas Wallace Batista, 34 anos, ele passou a receber ameaças e intimidações após discutir com integrantes do grupo, depois de protesto ocorrido semana passada no bairro.

Douglas disse que as ameaças aconteceram através de rede social na internet. “Entraram na minha página e colocaram diversas ameaças. Fiquei receoso e procurei a polícia. Mostrei todas as mensagens e registrei o caso”.

Apesar de Douglas ter retirado a sua página do ar, no perfil do grupo Black Bloc foi publicada a foto dele e um texto, no qual o grupo se refere aos morador como “esquentadinho” e “burguês”, que teria xingado os manifestantes.

A confusão ocorreu terça-feira passada, após protesto em frente ao Palácio Guanabara. Na Rua General Glicério, moradores discutiram com os manifestantes, pedindo o fim dos vandalismos.
Douglas viu lixeiras sendo incendiadas e reclamou. “É uma opressão ridícula. Não podem retaliar quem não é a favor das ideias deles”.

A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática informou que vem investigando casos de vandalismo nas manifestações e que já indiciou sete pessoas e pediu a prisão de uma delas.

Identificação

Nesta segunda-feira, o Ministério Público entrou com medida cautelar pedindo que PMs do Serviço Reservado que trabalham sem farda nas manifestações, não façam prisões. O órgão requereu que os policiais usem coletes com identificação e que a corporação informe com 24 horas de antecedência a lista de policiais escalados para atuar os protestos.

Você pode gostar