Caso Juan: PMs começam a depôr

Advogado de policiais diz que clientes vão manter versão que teriam trocado tiros com traficantes em comunidade

Por O Dia

Rio - Começou, há poucos minutos, o interrogatório do primeiro dos quatro PMs acusados pela morte do menino Juan Moraes, de 11 anos, ocorrido em junho de 2011. Isaías do Carmo, 50 anos, está com a palavra e, a pedido do juiz André Coelho, está relatando tudo o que fez no dia 11 de junho, durante a sua escala de serviço, até a ação do 20º BPM (Mesquita) na comunidade Danon, onde Juan foi assassinado.

O advogado do acusado, Edson Ferreira de Lima, disse que os policiais vão fazer o mesmo relato já prestado antes, na fase de instrução do processo, ou seja, de que trocaram tiros com traficantes. "Quando se está com a verdade, vai morrer com a verdade", afirmou o defensor.

Os outros três policiais foram retirados do plenário da 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, durante o relato de Isaías. Eles serão ouvidos ainda na noite desta quarta-feira. A previsão é que o julgamento termine na noite desta quinta-feira.

Mais cedo, o perito Miguel Arcanjo prestou novo depoimento. Ele já havia sido ouvido terça-feira, mas ocorreu problema na gravação de áudio do depoimento. Durante duas horas de relatos sobre as perícias do inquérito, ocorreram divergências entre a defesa dos réus e o perito, sobre o posicionamento de uma das vítimas no local do crime.

Últimas de Rio De Janeiro