Acusado de usar RioCard de sobrinha de Beto Neves é preso

Parentes de estilista foram assassinados em casa

Por O Dia

Rio - Acusado de ter furtado o RioCard de Manuella Neves, de 22 anos — assassinada dia 27 de agosto, em São Gonçalo, com o noivo, Rafany Pinheiros, 23, e a mãe, Lynete Neves, 65 —, Carlos Henrique Martins, 53, foi preso nesta quinta-feira por agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo. De acordo com o delegado Wellington Vieira, o criminoso furtou o cartão da vítima no Instituto Médico Legal (IML) de São Gonçalo, onde ele trabalhava numa firma de limpeza

“Ao ser preso, ele acabou confessando o crime e agora vai responder por furto qualificado e pode pegar até oito anos de prisão”, afirmou Vieira, ressaltando que a polícia rastreou a utilização do RioCard pelo bandido, que também teria furtado um celular.

As pistas começaram com imagens do acusado gravadas num dos ônibus, o da linha 43 (Jardim República - Fórum). O cartão teria sido usado ainda em outros cinco ônibus diferentes.

Manuella era sobrinha do estilista Beto Neves, dono da marca Complexo B. Ela, o noivo e a mãe foram encontrados mortos na casa da família, no bairro Venda da Cruz, com tiros na cabeça — pelo menos cinco foram disparados. O crime pode ter sido praticado por vingança, segundo investigações ainda em curso.

Últimas de Rio De Janeiro