Rock in Rio: Bandidos fazem 'arrastões' e furtam dezenas de celulares

Fãs reclamam de falta de segurança e demora no atendimento para registrar ocorrência

Por O Dia

Rio - Dezenas de pessoas foram furtadas nos shows do Rock in Rio nesta sexta-feira à noite. A apresentação do DJ David Guetta parece ter sido escolhida pelos criminosos para fazer uma espécie de arrastão no público. Somente numa área do gramado, 37 celulares foram roubados em poucos minutos.

Além da falta de segurança, outra reclamação foi com a demora no atendimento para fazer o registro de ocorrência. O sistema da Polícia Civil saiu do ar várias vezes, o que fez com que algumas pessoas esperassem até duas horas para fazer o boletim. Pelo menos três homens foram detidos com material de roubo.

Fãs reclamam de falta de segurança na Cidade do RockErnesto Carriço / Agência O Dia

Houve caso em que a vítima se atracou com o bandido na área de shows. Foi o que aconteceu com o artista plástico Maxtaine Teixeira Cardoso, 37 anos. Ao identificar o homem que levou seu celular de R$ 2 mil, ele ainda tentou negociar a devolução. Diante da negativa, ele entrou em luta corporal com o ladrão e acabou a noite com cinco pontos na testa.

"Percebi que durante a apresentação do tributo do Cazuza, um homem se debruçou sobre mim. Foi rápido. Quando coloquei a mão no bolso, ele já tinha levado meu celular de R$ 1, 8 mil. Fui atrás dele e pedi meu telefone de volta. Fiquei nervoso quando ele falou que não tinha me roubado e fui para cima dele. Não entendo como um evento desse porte, tem tanta gente roubada. Iria vir amanhã (sábado), mas até desisti. Vou vender meu ingresso", reclamou o artista plástico.

Artista plástico entrou em luta corporal com ladrão e levou cinco pontos na testa Ernesto Carriço / Agência O Dia

No grupo dos furtados no show do DJ está o auxiliar de logística Norton Alves, 20 anos. Ele contou que os bandidos chegavam empurrando, como se tivesse dançando, e roubavam em sequência as pessoas. É o que relata também o estudante de Medicina Osmar Rodrigues, que teve o celular roubado. "Era a mesma turminha. Eles chegavam perto e saiam levando o que conseguissem pegar", contou ele, que teve o telefone retirado de dentro do bolsa da bermuda.

A consultora Patrícia dos Santos, 40 anos, estava inconformada. O celular da filha dela foi roubado quando a jovem segurava o telefone. Ela reclamou da falta de segurança no local. "Não achamos ninguém por perto para nos auxiliar. O aparelho roubado custa cerca de R$ 2, 5 mil. Meu conselho é que ninguém venha com celular para cá, porque estão roubando mesmo".

Últimas de Rio De Janeiro