Procon multa organização do Rock in Rio e outras empresas

Na Operação Serguei, o agentes fiscalizaram o comércio e o funcionamento do evento, atendendo às denúncias e às reclamações do público

Por O Dia

Rio - Nos três primeiros dias do Rock in Rio, O Procon autuou a organização do festival e empresas que estão atuando na Cidade do Rock por diversos tipos de irregularidades. Os fiscais interditaram banheiro com vazamento, deram apoio a cadeirantes que não estavam tendo seu direito respeitado, e solucionaram problemas de atendimento nas lanchonetes do Bob's.

Na Operação Serguei, o agentes fiscalizaram o comércio e o funcionamento do evento, atendendo às denúncias e às reclamações do público com base no Código de Defesa do Consumidor.

Logo nas primeiras horas do Rock in Rio, um dos banheiros teve de ser interditado devido a um vazamento que acarretou em uma poça de urina e fezes nos fundos de uma das lanchonetes do Bob's. A organização do evento, que será multada, providenciou o conserto do banheiro.

Cidade do Rock foi alvo de fiscalizaçãoAndré Muzell / Ag. News

A empresa Two East, contratada pela rede de lanchonetes Bob's para circular com ambulantes vendendo comidas e bebidas entre os expectadores, foi autuada e será multada. Fiscais do Procon constataram que os ambulantes vendiam as mercadorias por preços mais caros do que constava na tabela estampada na própria roupa que os ambulantes vestiam.

Consumidores do Bob's reclamaram no estande do Procon-RJ sobre a dificuldade de atendimento, pois não conseguiam trocar cartelas de comida e bebida compradas no caixa de uma das lanchonetes da rede no evento em uma outra, como fora anunciado que seria possível. Agentes conversaram com representantes do Bob's e o problema foi solucionado.

Outra demanda recorrente nesses primeiros dias de festival foi a grande quantidade de reclamações de cadeirantes sobre a dificuldade no acesso para eles; a falta de apoio da organização para seus deslocamentos, bem como o uso de áreas reservadas a eles por pessoas não portadoras de necessidades especiais. Já a Coca-Cola Clothing estava com mercadorias expostas na vitrine sem o preço e foi autuada por isso.

A CVC Viagens foi outra empresa que gerou problemas a alguns dos clientes de seus pacotes para assistir ao Rock In Rio. Cerca de 100 pessoas que compraram pacotes para o evento não conseguiram trocar seus bilhetes por ingressos no estande da Ingresso.com para entrar na Cidade do Rock. O grupo foi reclamar no estande do Procon-RJ, que intermediou a solução da questão com a Ingresso.com. O problema foi resolvido em cerca de 30 minutos.

Já a Real Auto Ônibus pode ser multada por propaganda enganosa. A empresa vendia passagens a dois preços diferentes para levar as pessoas à Cidade do Rock: cobrava um valor menor para aqueles que iriam até o Terminal da Alvorada, na Barra, que fica a mais de 11km do local do evento, e outro - bem mais caro - para quem optasse ficar a menos de 100 metros da entrada do evento. A empresa, porém, não teve autorização para estacionar seus ônibus próximo à Cidade do Rock, e todos acabaram desembarcando no Terminal Alvorada.

Alguns representantes do grupo de mais de 50 passageiros que pagou a passagem mais cara ficaram de formalizar denúncia contra a Real Auto Ônibus nesta segunda-feira, 16 de setembro, na sede do Procon-RJ. A empresa poderá ser autuada e multada, além de obrigada a restituir o valor cobrado pelas passagens.

Os fiscais e agentes do Procon-RJ estarão durante todos os dias do festival fiscalizando e atendendo às reclamações dos expectadores. O estande do Procon-RJ está localizado em frente a entrada da Cidade do Rock.

Últimas de Rio De Janeiro