'Se tiver confronto por parte da PM, voltaremos a usar máscaras', diz Black Bloc

Manifestantes fazem protesto na Candelária contra o governador Sérgio Cabral

Por O Dia

Rio - Mais de 100 pessoas se concentram na Candelária, entre elas 20 do grupo Black Bloc, em protesto contra o governador Sérgio Cabral, na noite desta quinta-feira. Os integrantes estão sem máscaras, apenas usando bonés e gorros escuros. Cerca de 40 PMs acompanham os ativistas.

Uma integrante do Black Bloc, que não quis se identificar, disse que o ato sairá da Candelária, mas não tem local definido. "Não vamos mais usar máscaras, pois está proibido. Se houver confronto covarde por parte da PM, elas serão novamente utilizadas. O Black Bloc é perseguido pela polícia nas manifestações. Andamos com óculos para nos protegermos dos gases das bombas. Dá pra ver que nem começou o protesto e já nos cercaram", afirmou.

Manifestantes ocuparam a Avenida Presidente VargasLeitor %40MendoncaDouglas

Os manifestantes reinvidicam o impecheament de Cabral, a revogação da lei 3.528/13; que proíbe o uso de máscaras em protestos; a prisão dos mensaleiros, o fim da violência da PM e a sua desmilitarização, o fim da remoções da Copa e Olímpiada, apoio à greve dos professores da rede estadual e a liberdade do Wallace, preso no dia 7 de setembro e atualemente em custódia em Bangu, na Zona Oeste.

Até o momento, o clima é de tranquilidade no local. Os manifestantes ocuparam uma faixa da pista central da Avenida Presidente Vargas. Os policiais fizeram um cordão lateral para acompanhar o ato, que segue para o Sambódromo ou até a Cidade Nova e deverá ser encerrado na Câmara Municipal.

Com cartazes%2C ativistas pediram pela soltura de manifestantes presosLeitor %40MendoncaDouglas

Eron Moraes de Melo, 32 anos, veio vestido de Batman. "Vim assim porque, pra mim, é um símbolo da justiça. Essa lei antimáscaras é ilegal e imoral", disse. Dois manifestantes do grupo Black Bloc foi detido. Os ativistas, ao verem o cerco dos policiais ao jovem, hostilizaram os PMs.Alguns deles se sentaram na pista, na altura da Avenida Passos.

Segundo a PM, os jovens foram detidos para averiguação por não portar carteira de identidade e foram levados para a 5ª DP (Mem de Sá). "Estou sendo detido porque gritei", disse um rapaz. O tráfego ficou lento no trecho, já que motoristas que estavam na pista central da via seguem para a pista lateral.

Os manifestantes chegaram a ocupar o monumento de Zumbi dos Palmares. Os ativistas discutiram entre eles mesmos porque um grupo resolveu fechar a outra pista da Presidente Vargas, sentido Zona Norte. O bloqueio da pista chegou a ser aberto pelos ativistas quando uma mulher que estava em um carro entrou em trabalho de parto. Momentos depois, um carro furou o cerco, indo para cima dos Black Blocs, que reagiram dando socos e chutes no veículo.

O protesto seguiu em direção à Prefeitura, onde homens do Batalhão de Choque (BPChq), fizeram cordão de isolamento. O ato dispersou, sem outros incidentes, por volta das 21h.

Últimas de Rio De Janeiro