Polícia prende suplente de vereador por assassinato

Acusado também responde por coagir a mãe da vítima. Crime aconteceu ano passado

Por O Dia

Rio - A cusado de homicídio duplamente qualificado e coação de testemunha, o suplente de vereador Murilo Antônio Fernandes dos Santos, o Binho Já É, 39 anos, foi preso na manhã desta sexta-feira, em São João de Meriti, na Baixada. O crime aconteceu no ano passado e sua prisão temporária foi expedida pela Justiça quinta-feira à noite. O suspeito ainda é investigado por suspeita de participação em outras duas mortes. Ele nega as acusações.

Murilo Antônio%2C o Binho Já É%3A investigado por outros dois homicídiosAlexandre Vieira / Agência O Dia

Os agentes da 64ª DP (São João de Meriti) chegaram no início da manhã à casa de Murilo, na Rua Sucupira, em Meriti. Ao perceber o cerco, ele tentou fugir, pulando muros de casas vizinhas. Policiais correram atrás do acusado e conseguiram capturá-lo. No imóvel, a polícia ainda encontrou um revólver calibre 38, registrado.

De acordo com o delegado Delmir Gouvea, as investigações sobre a morte de Leonardo Pereira Campelo, 18 anos, já duravam um ano. A vítima tinha passagens na polícia por furto e seria usuária de drogas. Investigações apontam que a morte do rapaz seria uma ação de pessoas que as testemunhas classificaram como ‘justiceiras’, que teriam envolvimento com grupo de extermínio e não aceitavam os furtos cometidos por Leonardo na região onde ele morava, em Vila São João.

Durante as investigações, as acusações pesaram ainda mais contra Murilo quando ele teria passado a ameaçar a mãe da vítima. A apuração da polícia aponta que o suplente de vereador também teria participado da morte do sobrinho dela e começado a intimidar a testemunha até mesmo em sua casa.

Com medo, a mulher resolveu fugir do acusado e mudou de endereço diversas vezes. No entanto, depois do segundo assassinato de integrante de sua família, ela resolveu romper o silêncio e procurou a polícia para contar o que sabia. A testemunha registrou na 64ª DP as ameaças que sofreu e buscou abrigo fora do estado.

Outro suspeito pelo homicídio de Leonardo, Diogo Rigaud Santos também teve mandado de prisão temporária cumprido ontem. No entanto, de acordo com o delegado Delmir, ele já estava detido por envolvimento em outra tentativa de homicídio no mesmo bairro de Vila São João. Ainda segundo policiais, Diogo também teria relações com milícias e fazia cobranças de ‘gatonet.’ O delegado Delmir afirmou ontem que as investigações sobre as outras mortes continuam.

Últimas de Rio De Janeiro