Menino foi morto por engano por bandidos da Pedreira, diz vizinho

Matheus Vieira Pita voltava de uma festa com a família quando carro foi atingido por tiros. Menor foi alvejado na cabeça

Por O Dia

Matheus Vieira Pita tinha apenas 14 anos Reprodução Internet

Rio - Um vizinho do menino Matheus Vieira Pita, de 14 anos, que morreu atingido na cabeça por um tiro, na madrugada deste sábado, na Pavuna, afirmou que o disparo foi feito por bandidos do Morro da Pedreira, que estavam numa moto. 

De acordo com a testemunha, que não quis se identificar, criminosos da Pedreira souberam de um assalto a duas lanchonetes na Rua Afonso Terra e foram procurar os suspeitos, que seriam do Chapadão e estariam num Celta.

Quando passavam pela Rua Doutor José Thomás, ao verem o Celta onde estava Matheus, os bandidos teriam mandado a motorista parar. A condutora, que era prima do menor, ficou nervosa e deu partida com o veículo.

Os criminosos atiraram diversas vezes e um dos tiros acertou Matheus, que sentava no banco de trás. Na delegacia, foi possível ver as marcas de quatro balas na lataria do Celta vermelho.

O adolescente estava voltando de uma festa infantil na Penha com a família. A tia estava no carona e o irmão mais novo de Matheus, de 10 anos anos, também se encontrava no banco de trás.

Ao verem o resultado da ação desastrada, os acusados teriam pedido desculpas à família. Matheus chegou a ser socorrido pelo pai para a UPA de Costa Barros, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo familiares, o sonho do adolescente, que estava na sexta série, era ser jogador do Fluminense. Neste sábado, ele faria sua estreia no time do bairro.

O caso foi registrado na 39ª DP (Pavuna) e depois passado para a Divisão de Homicídios (DH). O corpo será enterrado no fim da tarde deste sábado, no Cemitério de Irajá, na Zona Norte.

Lanchonete foi assaltada em Costa BarrosOsvaldo Praddo / Agência O Dia





Últimas de Rio De Janeiro