Roubos e assaltos marcam o encerramento do Rock in Rio

Dezenas de pessoas tiveram celulares e carteiras furtados na Cidade do Rock

Por O Dia

Rio - A onda de roubos e assaltos não deu trégua nem no encerramento do Rock in Rio. Enquanto bandas como Slayer, Avenged Sevenfold e Iron Maden fechavam o festival ao som do heavy metal, dezenas de pessoas tiveram celulares e carteiras furtados na Cidade do Rock. Para piorar, a fila de cerca de 50 minutos para registrar o Boletim de Ocorrência na Delegacia Móvel foi um castigo a mais para quem só queria se divertir. O empresário Nilzo Andriotti, 50, estava bem próximo ao palco, durante o show do Avenged, quando levou uma ‘carteirada’: perdeu R$ 100, documentos e cartões de crédito.

“Estou com sede e não tenho dinheiro nem para beber água. Vou ter que pedir emprestado para poder sair daqui”, desabafou ele, que veio de Porto Alegre. Fato semelhante aconteceu com o engenheiro paulistano Felipe Lopes, 26. “Quando estava saindo do show do Avenged, senti que alguém pegou minha carteira. Não consegui ver quem foi. Provavelmente, alguém que estava sentado. O pior é que perdi até os ingressos de hoje e de sábado, que guardaria de recordação”, lamentou Felipe.

Às 1h10, uma jovem, que preferiu não se identificar, esperava o namorado, que foi roubado e agredido por assaltantes, fazer o Boletim de Ocorrência. “Estávamos no Palco Sunset, vendo o show do Sepultura e Zé Ramalho. Meu namorado estava filmando. Foi quando veio um cara e pegou o celular da mão dele. Ele puxou de volta. Então, o ladrão deu um soco na cara dele. Outros quatro vieram e o cercaram, mas o pessoal da plateia conseguiu separar”, conta. O rapaz passa bem. “Ele cortou a boca e machucou um lado do rosto.”

Já a estudante de jornalismo Ana Carolina Cabral, 21, perdeu um celular Galaxy avaliado em R$ 2 mil. “Ele simplesmente desapareceu. Estava com bateria cheia, mas, quando tentamos ligar, deu desligado. Ou seja: com certeza foi roubado”, concluiu. Ela, que pagou apenas a primeira prestação do aparelho, não conseguiu esconder a revolta: “É um absurdo ser roubada num evento deste tamanho. Eles nos cobram um ingresso caríssimo e acontece isso.”

Últimas de Rio De Janeiro