Greve deixou Zona Oeste sem ônibus

Paralisação atingiu 30 linhas da região na manhã desta terça

Por O Dia

Rio - Funcionários das empresas de ônibus Rio Rotas e Andorinha, que são responsáveis por cerca de 30 linhas na Zona Oeste, realizaram uma paralisação por causa de atrasos nos pagamentos de salários na manhã desta terça-feira, deixando muitos passageiros sem transporte para ir ao trabalho.

Segundo o Consórcio Santa Cruz, que tem a concessão na região e do qual as empresas fazem parte, coletivos de outras empresas associadas cobriram parcialmente as linhas sem serviço pela manhã e, às 12h, os funcionários em greve voltaram ao trabalho, após acordo de que os pagamentos atrasados seriam regularizados até sexta.

Ainda assim, os pontos ficaram lotados pela manhã e os passageiros não sabiam o que tinha acontecido. O estoquista Claudinei Ruyter usou as redes sociais para reclamar. “Depois de ficar 40 minutos esperando no ponto, recebo a notícia: ônibus das linhas 811, 812 e 784 estão em greve”, escreveu no Facebook. Na mesma rede social, Aline de Mello informava: “Precisavam ver como estavam os pontos do Guandu! Uma falta de respeito.”

O presidente do Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Urbano do Município do Rio (Sintraturb), José Carlos Sacramento, disse que, caso as empresas não paguem os salários até sexta-feira e as férias atrasadas até 10 de outubro, como foi combinado em reunião entre empresários e trabalhadores, ontem pela manhã, haverá nova greve.

“As empresas alegam que estão em situação financeira ruim após o cancelamento do aumento das tarifas, mas os trabalhadores não podem ficar sem receber os salários. Nem o INSS e o FGTS estão sendo depositados”, afirmou.

Perguntada se haveria multas para as empresas por descontinuidade do serviço, a Secretaria Municipal de Transportes não retornou.

Últimas de Rio De Janeiro