Manifestação pede que MP atue contra lei antimáscaras

PMs revistaram ativistas durante ato, o que gerou clima de tensão

Por O Dia

Rio - Uma manifestação de 150 integrantes do grupo Black Bloc, que não estão usando máscaras, e de membros da Frende Independente Popular, FIP, está em frente ao prédio do Ministério Público, na Avenida Marechal Câmara, no Centro do Rio. O ato pede que o MP atue contra a lei que proíbe o uso de máscaras em protestos. Segundo os manifestantes, o órgão fez um acordo com o governo estadual pela aprovação da lei.

Os ativistas estenderam uma faixa em frente ao prédio com os dizeres "Fora Cabral e a farsa eleitoral". Cerca de 150 PMs revistam os presentes o que gerou um certo clima de tensão. Heron Mello, que costuma ir às manifestações fanstasiado de Batman foi encaminhado para a 17ª DP (São Cristóvão) por usar o traje.

"Estou sendo preso porque fui mascarado. Ninguém tem o direito de cumprir uma lei dessas, que é imoral e incostitucional", disse. Heron foi colocado na caçamba de uma viatura, o que deixou os manifestantes revoltados. Segundo os PMs, ele foi encaminhado para a 17ª DP (São Cristóvão). A estratégia de levar detidos em protestos para delegacias longe do ato não é nova e tem o objetivo de impedir que os ativistas não se manifestem nas unidades policiais, dada a distância.

Membros do Instituto de Defesa dos Direitos Humanos seguiram para a 17ª DP para soltar Heron. Por volta das 18h40, os muitos ativistas colocaram máscaras e desafiaram os PMs, gritando "Ei Cabral, quero ver prender geral".

O protesto seguiu para Avenida Franklin Roosevelt, onde a Polícia Militar usou diversas vezes armas de choque contra os ativistas. Dois manifestantes foram presos e colocados em um ônibus da corporação. 

Últimas de Rio De Janeiro