Tiroteio entre traficantes rivais assusta moradores de Madureira

Segundo PMs, criminosos do Morro da Serrinha estariam tentando tomar o controle do Morro do Cajueiro

Por O Dia

Rio - Um intenso tiroteio no fim da noite desta terça-feira assustou moradores entre os morros do Cajueiro e Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio. Após quase uma hora de disparos feitos por traficantes, granadas também foram explodidas. De acordo com a Polícia Militar, as duas comunidades são dominadas por facções rivais.

Ainda segundo informações da PM, criminosos da Serrinha estariam tentando tomar o controle do Cajueiro. Militares do 9º BPM (Rocha Miranda), fizeram uma operação no local de confronto com um blindado, mas não permaneceram nas entradas das favelas.

Cápsulas de fuzil 7.62 e de pistola calibre 9 milímetros foram encontradasOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Moradores afirmam os tiros começaram por volta de 22h30. Muitos pedestres tiveram que se abrigar atrás de muros durante o tiroteio. No Cajueiro, um transformador de energia elétrica foi atingido por disparos, deixando parte da Avenida Ministro Edgar Romero, sem luz. O local foi interditado depois que uma tubulação de gás estourou.

Cápsulas de fuzil 7.62 e de pistola calibre 9 milímetros podiam ser encontradas na avenida. Operadores de trânsito da empresa Via Rio, que trabalham durante a madrugada em frente a principal entrada da Serrinha, contaram ter passado por momentos de tensão.

"Na hora dos tiros, tivemos que nos esconder atrás de containers. Trabalhar aqui é muito arriscado, pois não sabemos se vamos ser atingidos por um tiro. Todos os dias há confronto, mas hoje (terça), teve até granada", lembrou ainda muito assustado um operador de tráfego.

Ainda de acordo com ele, bandidos das duas favelas tem circulado pela região em motocicletas e com forte armamento. "Desfilam com duas pistolas na cintura e um fuzil entre as mãos. Em algumas ocasiões, a arma cai da cintura e pegam do chão. Está escancarado a ação dos marginais", avisou.

Com a possibilidade de haver a implantação de um Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na área, devido a Transcarioca, traficantes rivais das duas comunidades tem travado guerra pelo domínio da região.

Últimas de Rio De Janeiro