Por tamyres.matos

Rio - Em quatro dias, dois assaltos. É assim que o corretor de imóveis Vinícius Rebelo, de 25 anos, resume a falta de segurança que sofreu, nos últimos dias, na Zona Oeste. Morador da Freguesia, em Jacarepaguá, Vinícius diz que tem que enfrentar o medo após ser abordado por bandidos na sexta-feira da semana passada (dia 30 de setembro), quando voltava para casa de carro, na Barra da Tijuca, e também na quinta-feira (dia 3), quando quatro rapazes, que pareciam de classe média alta, levaram seus pertences enquanto caminhava pela Rua Geremário Dantas, perto de casa.

O jovem contou que na primeira vez, foi abordado quando deixava o trabalho, por volta das 23h de sexta-feira. O corretor estava de carro, em um engarrafamento na Avenida Juan Manoel Fangio,aos fundos do Barra Shopping, quando dois homens em uma moto, pelo menos um armado, se aproximaram fingindo que iriam pedir informação. De acordo com a vítima, policiais militares que faziam patrulhamento no local de moto pareciam distraídos com o tráfego enquanto mais de 20 pessoas eram roubadas.

A ação terminou com a prisão de um dos bandidos e recuperação de bens após uma perseguição iniciada por outros pms. "A polícia, como um todo, tem que estar preparada e saber que trânsito parado atraí bandidos. Que segurança podemos ter se os policiais mais próximos ao arrastão estavam com a atenção dispersa? Não sabem que os criminosos não aproveitam do congestionamento? Sorte que essa outra equipe apareceu e foi eficiente", queixou-se.

Já na quinta-feira passada, por volta das 19h, Vinícius foi surpreendido por quatro rapazes, que estavam de bicicleta, pelo menos um deles armado, quando passava sozinho, a pé, pela travessia de pedestres localizada debaixo da Linha Amarela, na Freguesia. No assalto, o grupo levou celular, dinheiro e material de trabalho da vítima. Nada foi recuperado. "Fui rendido por quatro rapazes, que tenho certeza que pertencem a classe social que não precisa disso. Estou apavorado e à base de remédios", contou.

Você pode gostar