Operação Parasitas: Mais três fiscais da Vigilância Sanitária são presos

Acusados estavam em liberdade devido a um habeas corpus. Ao todo, 28 suspeitos foram capturados

Por O Dia

Rio - A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco-IE) realizou, na tarde desta quarta-feira, buscas para o cumprimento de cinco mandados de prisão contra fiscais da Vigilância Sanitária. Eles estavam em liberdade através de habeas corpus concedido pelo plantão judiciário.

Dos cinco mandados de prisão, três foram cumpridos contra Marco Antonio Peixoto, Robert Roy Fulton e Vânia Kastrup. Valfredo Tavares Fernandes e Roberto Kelly Vidinha ainda estão foragidos.

Fiscais da Vigilância Sanitária são presos durante operação na quinta da semana passadaOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Na semana passada, agentes da Secretaria de Segurança Pública, Polícia Civil e Ministério Público apreenderam três espingardas, duas calibre 12 e uma 28, documentos, CPU e R$ 1,1 milhão durante a Operação Parasitas, que prendeu 25 fiscais da Vigilância Sanitária, acusados de corrupção. Segundo as autoridades, as armas estavam na casa do médico veterinário do órgão, Adolfo José Wiechmann.

A ação visava cumprir 30 mandados de prisão contra fiscais da Vigilância Sanitária que cometem, desde 2010, extorsão contra comerciantes e profissionais de diversos gêneros para não aplicar multas. Além das prisões, vasto material foi apreendido. Também foram expedidos 52 mandados de busca e apreensão.

Últimas de Rio De Janeiro