Por cadu.bruno

Rio - Preso na última terça-feira durante protesto dos professores, no Centro, Renato Tomaz de Aquino foi libertado nesta quinta-feira, segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Despedida romântica na 25ª DP%3A rapaz preso beija jovem do lado de fora do ônibus da Polícia MilitarEstefan Radovicz / Agência O Dia

Ele foi autuado com base na nova lei de organização criminosa — criada depois que os protestos se tornaram mais frequentes e que prevê penas mais duras, para crimes como dano ao patrimônio público, formação de quadrilha, roubo e incêndio. Outras 63 pessoas seguem presas.

Ferido por disparo de arma de fogo

Os confrontos entre manifestantes e policiais fizeram, na noite da última terça-feira, a primeira vítima por disparo de arma de fogo. O estudante Rodrigo Azoubel, 18, sofreu fratura nos dois antebraços, mas ainda não se sabe se causado por um ou dois tiros. Onze feridos no protesto foram para o Hospital Souza Aguiar por quedas e inalação de gás.

nternado na Clínica São Vicente, na Gávea, onde foi submetido a duas cirurgias, Rodrigo contou ao delegado Orlando Zaccone, da 15º DP (Gávea), que participava da manifestação na Cinelândia quando foi atingido, por volta das 20h30.

“Ele não sabe dizer de onde partiu o disparo. Felizmente, havia estudantes de medicina voluntários que salvaram sua vida. Ele poderia ter morrido por hemorragia”, disse o delegado. Zaccone começou a investigar o caso, que agora está na 5ª DP (Lapa).

Filho do professor Beto Azoubel, assessor técnico do Ministério da Cultura, e Flávia Lacerda, diretora da Rede Globo, Rodrigo vai ficar internado por pelo menos mais uma semana, quando será submetido a novas cirurgias para fixação da fratura.

Você pode gostar