Por thiago.antunes

Rio - Cerca de 40 carros do Detran estão se deteriorando há pelo menos um ano e três meses em um terreno alugado na Rua Heitor Beltrão, na Tijuca. Entre eles, veículos oficiais dos modelos Gol e Corsa, e um Fiat Uno do programa Cidadania Sobre Rodas, destinado a aulas de direção gratuitas para pessoas com necessidades especiais. Além de disso, uma van e um ônibus já sem para-choque também se encontram no meio do matagal e dos focos de dengue.

Apesar de alguns veículos aparentarem estar novos, segundo o Detran-RJ, não há previsão de manutenção. O destino deles já está traçado: segundo a autarquia, eles são ‘inservíveis’, não tem condições de circular e, por isso, estão em processo de baixa no local para, em seguida, serem alienados. Apesar disso, o Detran não citou data nem prazo de quando serão removidos daquele local.

Carros amontoados com a marca do Detran estão se deteriorandoAlexandre Brum / Agência O Dia

Dois vigias contratados da Facility Segurança Ltda, que faziam a guarda dos veículos e eram a única movimentação vista no local ontem, chegaram a ameaçar a reportagem do DIA com extintores de incêndio. Segundo o garçom de um bar próximo ao terreno, Daniel Barroso, há dois anos ele não vê nenhum funcionário do Detran circular pela área. “Apesar de nunca termos visto os funcionários aqui, todo mundo sabe que este terreno é do Detran”, comentou.

Enquanto isso, o descaso é bancado pelos cofres públicos. Só o aluguel do terreno, que foi cedido à autarquia pela RioTrilhos, custa R$ 6,2 mil por mês — e o contrato vale por cinco anos.
Apesar de o termo contratual dizer que o espaço será destinado ‘para garagem da frota e/ou instalação de um posto de vistoria’, o Detran afirmou que o local está sendo utilizado para guarda dos veículos até a finalização do processo de baixa.

Já o contrato dos serviços de vigilância armada para atender aos postos do Detran, que também garante os homens que faziam a segurança do local, custa mais de R$ 9 milhões por ano.

Um van e um ônibus compõem cenário de abandono em terreno na Tijuca Alexandre Brum / Agência O Dia

Órgão gasta milhões por ano com aluguel de veículos

Enquanto o Detran decide não reparar os cerca de 40 veículos estacionados no terreno da Heitor Beltrão, vários contratos de aluguel de carros do órgão estão em vigor. Só um dos contratos, firmado em fevereiro do ano passado, prevê o aluguel de 29 carros da marca Polo Hatch, por R$ 1.170, cada um, por mês. O acordo de dois anos custa, no total, R$ 814 mil.

Outro contrato, firmado em março do ano passado, prevê a contratação de mais 26 carros do modelo Fiat Uno, a mesma marca que foi encontrada abandonado no local. Cada veículo custa, por mês, R$ 1.020 reais. No final de dois anos de validade do contrato, o custo será de R$638.345. Mais dez Unos também foram contratados em fevereiro do ano passado, por R$ 1.022, por mês. 

Vans também aparecem entre o comboio do Detran de veículos alugados. Dez vans foram requisitadas à Empresa Brasileira de Engenharia e Comércio, em março de 2012, por R$ 4. 518 cada uma, por mês. O contrato de dois anos custará, no total, mais de R$ 1 milhão. Mais 15 Kombis e duas vans também foram solicitadas, em março do ano passado, a mesma empresa. As vans também custam R$ 4. 518 por mês e, as Kombis, R$ 2.033. Nos dois anos de validade, a soma dos aluguéis chegará a R$ 948. 744.

Carros comprados em 2012 só passarão por vistoria em 2015 Alexandre Bum / Agência O Dia

Vistoria só após 2 anos

Donos de carros zero quilômetro adquiridos a partir de 2012 ficarão dispensados de fazer a vistoria por dois anos. O aumento do prazo, que antes era de um ano, foi decidido ontem pelo governador Sérgio Cabral em reunião com o presidente do Detran, Fernando Avelino. Isto significa que um carro zero comprado em 2012, já isento em 2013, não será submetido à vistoria em 2014, só precisando realizá-la em 2015.

A medida beneficia os consumidores, que deixarão de pagar a Taxa do Licenciamento Anual, hoje fixada em R$ 101,77, nos dois anos seguintes aos da compra do carro. Além disso, concessionárias também saem ganhando. Diretor comercial da concessionária Guandu VW, Eduardo Araújo afirma que o novo prazo motiva os clientes a comprarem carro zero.

“Com dois anos de uso, os carros estão novos, não tem necessidade de fazer vistoria a cada ano. Essa decisão vai ser muito boa para as vendas”, afirma.

Você pode gostar