Por thiago.antunes

Rio - O primeiro dia útil após a criação do terminal de ônibus ao lado do Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), na Região Portuária, foi de engarrafamentos e mais reclamações de passageiros de ônibus que vinham de outros municípios do Grande Rio. O novo ponto final dos coletivos intermunicipais, inaugurado na segunda, feriado para oa comerciários, é uma das medidas que, supostamente, amenizaria os impactos no trânsito das obras para a derrubada da Perimetral.

A Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) avaliou a operação desta terça como positiva e informou que atingiu o objetivo de retirar 360 ônibus intermunicipais das vias do Centro durante o horário de pico. Cerca de 20% dos coletivos que vêm da Baixada para o Rio passaram a ser obrigados a retornar do Into. Dali, nesta primeira semana, a prefeitura disponibilizou três micro-ônibus para levar passageiros até a Candelária.

Na manhã desta terça%2C houve grandes congestionamentos nos acessos à Região Portuária%2C que passa por testes para o fechamento da PerimetralAlexandre Vieira / Agência O Dia

“Hoje o trânsito está bem ruim. É muito complicado pegar ônibus aqui. Preciso ir até à Central”, reclamou assistente administrativo Antônio Carlos Lima, que descia do coletivo próximo ao Into.
O congestionamento chegava às vias de acesso ao Rio. “O engarrafamento está desde o shopping de São Gonçalo”, disse o bancário José Ricardo Barbosa, no Into.

Também como parte do plano de mitigação dos efeitos no trânsito das obras na Perimetral, a prefeitura desviou o trajeto de 15% dos coletivos que vêm de Niterói e São Gonçalo, da Presidente Vargas para o corredor BRS Estácio-Carioca. Entretanto, as faixas exclusivas para os ônibus, com inauguração prevista para a última segunda-feira, não foram concluídas ainda. Com início no Largo do Estácio, as linhas divisórias de pistas só estão pintadas até a Avenida Henrique Valadares. A SMTR informou que o BRS está em testes ainda e que deve estar pronto amanhã.

BRS começa testes ainda incompleto

No primeiro dia de testes do BRS Estácio-Carioca, que não tinha ainda as faixas separadoras das pistas dos ônibus pintadas em toda sua extensão, sobraram queixas por falta de informação e pelas novas rotas para os ônibus. O contador Celso Gomes de Oliveira, de 60 anos, reclamava da “bagunça” no início da operação para ônibus intermunicipais nos arredores da Praça Cruz Vermelha. “O trânsito está caótico”. No Estácio, o auxiliar administrativo Claudenir Bastos, de 40, dizia que não havia informações sobre as mudanças.

Você pode gostar