Por tamyres.matos
Mané Garrincha nasceu na cidade de Pau Grande%2C em MagéEstefan Radovicz / Agência O Dia

Rio - Ninguém esquece os dribles desconcertantes do craque das pernas tortas. Mas a memória de Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, saiu para escanteio na cidade de Pau Grande, em Magé, onde nasceu. A família, moradores do distrito e a prefeitura, no entanto, querem virar o jogo. O pontapé inicial para ressuscitar a trajetória do ex-jogador do Botafogo é a criação do museu sobre ele, que teria completado 80 anos dia 18.

O local já está escolhido: será ao lado do campo do Sport Clube Pau Grande, onde começou a jogar. O prefeito de Magé, Nestor Vidal, garante que o memorial vai sair do papel e adianta que o local terá as formas das pernas do filho ilustre do município. “Estamos tentando parcerias para construir o museu, avaliado em R$ 3 milhões. Um painel informando que em Pau Grande nasceu Garrincha também será construído”, promete.

Neta do craque, Alexandra dos Santos Mário, 41, a Sandra Garrinchinha, sonha em visitar o museu. “Tenho certeza que vai atrair milhares de turistas. Vem muita gente aqui de várias partes do mundo”, afirma Sandra, dona de bar temático em homenagem ao avô. O motorista Edilson Lima, 57, de Rio Bonito, que passou pela cidade, tirou foto ao lado da imagem em tamanho real do ídolo no bar para mandar ao irmão que mora em São Paulo. “Ele é botafoguense doente. Vai ficar emocionado”, aposta.

Denízia dos Santos Soares, 54 , filha de Garrincha, lamenta a ausência do pai. “Não estaria passando por tanta dificuldade”, revela Denízia, que mora numa casa de três cômodos com o marido e dois filhos.

TÚMULO EMPRESTADO

Também conhecido como “Alegria do Povo” e “Anjo das Pernas Tortas”, herói da conquista das Copas do Mundo de 1958 e 1962, Garrincha está enterrado num túmulo emprestado por um amigo da família. Segundo a prefeitura, seus restos mortais serão transferidos para o museu que será construído.

Dionízia afirma que sente muito a falta do paiEstefan Radovicz / Agência O Dia

A data do aniversário foi comemorada com apresentação do Cordão da Bola Preta. Na falta de um museu, fãs tiram fotos em frente ao busto na Praça Montese. O campo do Sport Clube, onde Mané Garrincha começou a jogar, e a casa em que viveu durante anos, na Rua Demócrito Seabra 7, também são hoje pontos turísticos.

Você pode gostar